sábado, 21 de dezembro de 2013

Serpentes, acidentes e primeiros socorros

Se por um acaso você encontrar uma dessas serpentes, e ainda der o azar de ser picado, veja algumas dicas para sua identificação e primeiros socorros.

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2013/12/serpentes-acidentes-e-primeiros-socorros.html

VAMOS DESCOBRIR...

No Brasil são encontradas cercas de 321 espécies conhecidas de serpentes, sendo apenas 36 peçonhentas, ou seja, capazes de inocular seu veneno. As serpentes brasileiras peçonhentas estão divididas em duas famílias : Elapidae e Viperidae.

FAMÍLIA ELAPIDAE

Esse grupo é formado por dois gêneros Leptomicrurus e Micrurus, conhecidas popularmente como corais verdadeiras. Suas características mais marcantes são suas cores brilhantes, uma mistura de vermelho, branco, preto e amarelo, dependendo da espécie. Não possuem cabeça triangular nem fosseta loreal (órgão sensorial termorreceptor). 


Detalhe dos olhos, narina e presas de uma serpente da família Elapidae. Fonte da imagem: medicinanet.com.br.

É interessante notar que essas duas características são utilizadas para identificação de cobras peçonhentas, porém, existem sua exceções como as corais verdadeiras que não possuem cabeça triangular e fosseta loreal, porém são peçonhentas, inclusive são consideradas as serpentes mais peçonhenta do Brasil, apesar de serem responsável por apenas 1% dos acidentes causados!!

Detalhe do canal onde passa o veneno em uma serpente com dentição proteróglifa. Fonte da imagem: biologiaaoextremo2014.blogspot.com.br.

O tipo de dentição característico das serpentes pertencentes a família Elapidae é do tipo proteróglifa, ou seja, apresentam dois dentes inoculadores de peçonha na parte anterior do maxilar superior, não retráteis.

CORAL E FALSA CORAL

A cobra coral verdadeira tem uma coloração típica, com anéis completos, pretos, brancos e vermelhos. Nela a anel vermelho não se mistura com o preto, separado pelo branco

Coral verdadeira. Fonte da imagem: escolakids.uol.com.br.
A falsa coral possui anéis pretos que se encontram com os vermelhos

Falsa coral. Fonte da imagem: misturebas.com.
Como diz o ditado "vermelho e preto amigo do peito, vermelho e branco mata o sujeito".




A FAMÍLIA VIPERIDAE

A cascavel. Fonte da imagem: exatasnews.com.br.



Com cerca de 250 espécies distribuídas pelo mundo, é formada por serpentes com aparelho inoculador do tipo solenóglifo, facilmente identificadas pela cabeça triangular, recoberta por pequenas escamas de aspecto similar às do corpo. Para caracterizar a subfamília Crotalinae, devemos somar a estes atributos a presença de fosseta loreal entre o olho e a narina. Para alguns autores, essa característica é suficiente para identificar a família do grupo.

Detalha da narina, fosseta loreal e olhos de uma serpente da família Viperidae. Fonte da imagem: mspiritoselvagem.blogspot.com.br.

Essas serpentes representam o mais importante grupo para a saúde pública, pois são responsáveis pela enorme maioria e os mais graves acidentes ofídicos registrados, não só no Brasil, mas também em outros países americanos.

Detalhe da fosseta loreal em serpentes jararaca e cascavel. Fonte da imagem: herpetofauna.com.br.
Os gêneros da família Viperidae são: Bothrops, Bothriopsis, Bothrocophias, Lacheis e Crotalus.

As serpentes do gênero Bothrops são caraterizadas por possuírem a cauda sem maiores modificações, geralmente com escamas subcaudais em pares. Já o gênero Lachesis apresenta a cauda com as últimas fileiras de subcaudais modificadas e eriçadas, terminando num espinho. E o gênero Crotalus tem a cauda terminada em um apêndice articulado, o chocalho.  

Detalha dos tipos cauda nas serpentes dos gêneros Bothrops, Crotalus e Lachesis. Fonte da imagem: bombeiroswaldo.blogspot.com.br.

O que fazer em caso de acidentes com serpentes?
  1. A primeira coisa que  se deve fazer é procurar ajuda imediata,pois o tratamento deve ter início em até no máximo 30 minutos após a picada;
  2. Lavar o local da picada com água corrente ou com água e sabão se possível;
  3. Manter  o acidentado em repouso,acalmando-o sempre;
  4. Se possível, manter o membro afetado levantado e estendido, fazendo uma compressa de gelo no local;
  5. O mais recomendado é que se leve o exemplar da cobra, viva ou morta, para identificação;  
 O que não fazer!!!!
  1. De maneira alguma faça torniquete no local ou garrote, podem agilizar a necrose  no local;
  2. Não corte, perfure ou chupe a ferida;
  3. Não ofereça qualquer tipo de bebida alcoólica para o acidentado;
  4. Não contamine a ferida com qualquer tipo de tratamento caseiros, como folhas, borra de café etc;
Fonte da imagem: businessinsider.com.

ENTÃO VOCÊS JÁ SABEM O QUE FAZER SE FOREM PICADOS POR UM COBRA. MAS NÃO VAMOS PARAR POR AQUI COM AS CURIOSIDADES, ABAIXO SEPARAMOS MAIS ALGUMAS PRA VOCÊS, É CLICARA NOS TÍTULOS OU NAS IMAGENS:

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/10/serpente-super-venenosa.html

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/01/devagar-e-sempre.html

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2013/12/producao-de-soros-antitoxinas.html

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/01/a-fitoterapia-antiveneno.html


E NÃO DEIXE DE SEGUIR NOSSAS INCRÍVEIS COLEÇÕES NO GOOGLE+, É SÓ CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO PARA ACESSAR OS LINKS:

 https://plus.google.com/collection/YU0mQB https://plus.google.com/collection/UNFrQB

 https://plus.google.com/collection/0LmdQB https://plus.google.com/collection/Ut3sQB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...