O jacu e o café

Conheça o raro e exótico café que é feito com as fezes do jacu, uma ave simpática e esquiva da Mata Atlântica. Veja como esse processo é feito.


 http://www.bioorbis.org/2014/05/o-jacu-e-o-cafe.html
O jacu (Penelope sp.). Fonte da imagem: pixabay.

VAMOS DESCOBRIR...

jacu (Penelope sp.), é o principal responsável pela produção do Jacu Bird coffee, considerado um dos melhores cafés do Brasil. A ave, semelhante à galinha, era um problema para a Fazenda Camocim, localizada na região da Pedra Azul (Espírito Santo), próxima a uma mancha de Mata Atlântica. Os jacus, invadiam a plantação para se alimentar dos melhores frutos do cafezal. O transtorno era tão grande que os proprietários pediram autorização do governo para controlar a população desses animais.


MAS COMO É PRODUZIDO ESSE RARO CAFÉ?

Foi então que os fazendeiros ouviram a história do kopi luwak, o café mais caro do mundo, produzido na Indonésia a partir dos grãos colhidos das fezes da civetaParadoxurus hermaphroditus (Figura 2), uma espécie de mamífero.

Figura 2. Civeta (Paradoxurus hermaphroditus)Fonte da imagem: National Geographic Brasil.

A partir daí, os fazendeiros tiveram a ideia de fabricar o Jacu Bird Coffee (Figura 4), que se tornou reconhecido internacionalmente. A produção é direcionada para a exportação, porém o café do jacu pode ser encontrado em algumas lojas no Brasil.

Figura 3. Fonte da imagem: National Geographic Brasil.

O segredo está na “etapa especial” de fermentação das sementes (Figura 3). A alimentação do jacu é vegetariana e tem rápida digestão, que evita os grãos sejam contaminados por proteínas animais e ácidos estomacais, ao contrário do civeta. E a fermentação que ocorre no estômago da ave confere ao café um sabor único e refinado. Uma surpresa para o produtor, entretanto, foi o processo de seleção natural do jacu. Ao observar as aves, ele percebeu que elas escolhiam apenas os melhores frutos, deixando de lado uma grande parte, inclusive, os que pareciam perfeitos para o olho humano. Essa etapa ainda adiciona uma dimensão sem precedentes ao processo de qualidade do café.

Figura 4. Jacu Bird Coffee, produzido na Fazenda Camocim. Fonte da imagem: National Geographic Brasil.

Os amantes do café podem experimentar essa excentricidade em Santos, no Museu do Café. Se gostar da iguaria, prepare o seu bolso: 250 gramas de Jacu Bird Coffee podem custar mais de R$ 100!

Referências

E VENHA NOS SEGUIR NO GOOGLE+, ONDE NOSSAS COLEÇÕES ESTÃO INCRÍVEIS COM TODAS NOSSAS POSTAGENS, É SÓ CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO:

 https://plus.google.com/collection/YU0mQB https://plus.google.com/collection/Qu2lQB

 https://plus.google.com/collection/8ZnoQB

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/Q5LvSB

4 comentários:

  1. Essa história é mal contada. O sistema digestivo de qualquer ave destrói todos os grãos que passam pela "moela", diferente do que acontece com os mamíferos. As aves regurgitam aquilo que não querem engolir, no caso os grãos de café. Então o café de Jacu pode vir da regurgitação e não das fezes. Ou alguém já viu galinha cagar o milho que come, morreria de fome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado Jacão,

      Pesquisamos sobre o tal café e encontramos os site oficial dele:
      http://www.cafedomercado.com.br/conheca-o-exotico-cafe-jacu-bird/

      E realmente ele é produzido através de processos do estômago da ave.

      Boa observação,

      Abraços, Equipe BioOrbis.

      Excluir
  2. Entao nao pode colocar o nome do jacu no cafe tem que ser o nome do mamifero que come o cafe nao o pobre do jacu moro na regiao norte no Estado de Rondonia conheço o jacu nunca vi ele comer cafe olha que ja plantei e colhi muito cafe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Antonieta, mas ai já é com os produtores do café. É até sacanagem com o pequeno mamífero não é mesmo? Bem observado.

      Abraços, Equipe BioOrbis.

      Excluir