Conheça os zumbis do mundo animal

Vermes que fazem grilos se suicidar, vespas que fazem aranhas tecerem sua última teia, e muito mais.

 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2014/11/conheca-5-zumbis-que-sao-parasitados.html

VAMOS DESCOBRIR...

Zumbis ainda podem ser uma coisa de ficção científica, mas alguns parasitas podem mais ou menos transformar seus hospedeiros em mortos-vivos. Estes mestres de controle mental manipulam seus hospedeiros de dentro, levando-os a agir de forma auto-destrutiva que acabará por beneficiar o parasita.

"Alguns parasitas podem alterar o comportamento do seu hospedeiro em formas que dão ao parasita uma "casa" melhor, ou fornecem mais nutrientes, ou fazem com que o hospedeiro se desloque para um ambiente diferente", disse Janice Moore, biólogo da Universidade Estadual do Colorado em Fort Collins.


Esta estratégia parece funcionar, ela acrescentou: "Um parasita que pode alterar o comportamento de seu hospedeiroe ao fazê-lo melhorar sua própria transmissãovai ser favorecida pela seleção natural", disse ela.

Antes de ver sobre cada um em detalhes, vejam um vídeo (em inglês) do canal da National Geographic sobre eles:


Agora vamos aos zumbis parasitados por parasitas controladores de mentes em detalhes, vamos descobrir:

1 - VESPAS PARASITAS

A vespa Hymenoepimecis argyraphaga. Fonte da imagem: BioWeb.

As fêmeas da vespa da Costa Rica, Hymenoepimecis argyraphaga, colocam seus ovos sobre abdomens das pobres aranhas chamadas Plesiometa argyra

Depois de viver fora de seu hospedeiro durante algumas semanas, a larva da vespa injeta uma substância química para que a aranha faça construía uma nova e estranha espécie de teia, diferente de tudo o que foi construído antes.

Sob a manipulação por uma larva de vespa parasita, uma aranha Leucauge argyra constrói uma espécie de "casulo de teia" que vai abrigar a larva da vespa até que cresça.

Mas esta nova teia não é para a aranha: É destinado a apoiar o casulo que a larva da vespa vai construir depois de finalmente matar e comer a aranha.

2 - BARATAS ZUMBIS

A vespa esmeralda.

Quando a  fêmea da vespa esmeralda está pronta para procriar, ela encontra uma barata para servir como um berçário para dar vida para seus filhotes.

Primeiro, ela injeta uma toxina para que a barata paralise suas patas dianteiras. Em seguida, a vespa ataca novamente na cabeça da barata. Frederic Libersat de Ben-Gurion University, em Israel e seus colegas descobriram que o veneno tem como alvo uma área específica do cérebro responsável por iniciar o movimento.

A vespa esmeralda (Ampulex compressa) caça baratas e assume os seus processos de tomada de decisão.

Desprovida de sua capacidade de se mover de seu próprio livre-arbítrio, a barata pode ser agarrada pela antena e guiada para uma toca, onde a vespa deposita seus ovos sobre a vítima e enterrar-las juntas.

A larva da vespa consome lentamente a barata por vários dias antes de tudo em seu abdômen, surgindo como um adulto cerca de um mês mais tarde.

3 - A PLANÁRIA

As planárias. Fonte da imagem: Fatos Desconhecidos.

A planária quando adulta, vive nos fígados dos mamíferos de pasto, como vacas. Seus ovos são excretados nas fezes do hospedeiro, que são comidos por caramujos. Após a eclosão dos ovos dentro do caracol, o caracol cria cistos de proteção em torno dos parasitas e cria uma espécie de bolas de muco.

Estas bolas de lodo são consumidas pelas formigas. Quando os vermes são ingeridos pelas formigas, seguem um caminho para o cérebro, que controlam o inseto para subir para a ponta de uma folha de grama e sentar-se imóvel, onde é mais provável de ser comido por um mamífero de pastagem. Dessa forma, o verme de fígado pode completar seu ciclo de vida.

4 - DANÇA DA MORTE


O verme Euhaplorchis californiensis. Fonte da imagem: Bizarre Creature of the Day.

O Euhaplorchis californiensis começa a sua vida em um chifre de caracol do oceano como moradia, onde produz larvas que, então, procuraram o seu próximo hospedeiro, um killifish.

Uma vez que encontra um peixe, o parasita agarra-se às suas guelras e faz o seu caminho para o cérebro. Mas esta não é a sua parada final.

O acaso tem de entrar no intestino de um pássaro aquático, a fim de se reproduzir. Então, dentro do cérebro do killifish, ela libera produtos químicos que causam ao peixe danças, empurrões e saltos.


Ciclo de vida do verme e seus hospedeiros. Fonte da imagem: O dono do mangue.

Jenny Shaw, então na Universidade da Califórnia, em Santa Barbara, e seus colegas descobriram que o parasita diminui a serotonina e aumenta os níveis de dopamina no cérebro do peixe. A chave nesta química do cérebro estimula o peixe para nadar e se comportar de forma mais agressiva.

Estes movimentos atraem a atenção das aves, o que podem comer o peixe e os vermes. Os vermes acasalam-se, e seus ovos são liberados de volta para a água nas fezes das aves para serem comidos por outros caracóis-de-de-chifre e iniciar o ciclo novamente.

5 - GRILOS SUICIDAS


Um verme-de-crina (Paragordius varius) infecta um grilo solitário, em seguida, faz com que ele cometa suicídio pulando em um corpo de água. Em seguida o verme saia do corpo do grilo faz sua casa na água.

Hairworms tem um desafio perpétuo: Eles infectam insetos como grilos, mas os parasitas devem fazer o seu caminho para um habitat aquático, a fim de se reproduzir.

Fonte da imagem; Laboratory News.

Pesquisadores da França Centre National de la Recherche Scientifique descobriram como eles realizam esta façanha. Hairworms produzem produtos químicos de controlo mental que causam ao seu hospedeiro um distúrbio para se movam em direção a luz. Porque os corpos hídricos refletem o luar, isso muitas vezes envia os grilos em direção a lagos e córregos. Os grilos quando saltam se afogam, e os hairworms emergem, prontos para encontrar sua próxima vítima.

Referência 
National Geographic.

E NÃO DEIXE DE SEGUIR NOSSAS INCRÍVEIS COLEÇÕES NO G+, ONDE TODAS NOSSAS POSTAGENS ESTÃO EM CATEGORIAS E VOCÊ FICA LIGADO NAS ATUALIZAÇÕES (CLIQUEM NAS IMAGENS ABAIXO PARA ACESSAR OS LINKS):

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/YU0mQB https://plus.google.com/collection/MK9dQB

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Tiago Alexandre,

      Pequenos mas tem estratégias surpreendentes não é mesmo?

      Um grande abraço.

      Equipe BioOrbis.

      Excluir