Os dinossauros predadores

Um novo estudo explica o por que dos dinossauros terópodes (bípedes) eram tão bem sucedidos.

 http://www.bioorbis.org/2015/08/a-eficiencia-dos-dinossauros-predadores.html

VAMOS DESCOBRIR...

Os dinossauros Theropoda incluem três tipos gerais de animais: predadores de grande porte que, provavelmente, atacavam presas de grande porte usando as maxilas como armas (Ceratosauria, Allosauria e Tyrannosauria); predadores velozes que caçavam presas pequenas, com seus membros peitorais (Ornithomimidae); e predadores velozes que atacavam presas maiores que seu próprio corpo, utilizando uma enorme garra presente nos pés (Dromeosauria).

Figura 2. Dinossauro do Cretáceo, Gorgosaurus, usando seus dentes especializados para a alimentação em um jovem Corythosaurus. Crédito da imagem: Danielle Dufault.

OS GRANDES PREDADORES

Os impressionantes dinossauros que formam as peças centrais das exposições paleontológicas em muitos museus são os grandes carnívoros. O aumento no tamanho corpóreo dos Theropoda através da Era Mesozoica se equipara a uma aumento similar de tamanho nos Saurischia e Ornithischia herbívoros que eram as suas presas. Dilophosaurus (Figura 8), do Jurássico Inferior e Médio da América do Norte, foi denominado pela crista óssea par presente na cabeça (Grego di = duplo, loph = crista e saurus = lagarto). As suas maxilas eram delgadas e pareciam muito gracas para suportar o violento esforço do ataque a uma presa de grande porte.



Embora seja um animal grande (comprimento = 6 metros), Dilophosaurus pode ter sido um carniceiro. Ceratosaurus, do Jurássico Superior, também media 6 metros de comprimento, mas apresentava crânio e maxilas mais pesados que Dilophosaurus. A cabeça era grande em proporção ao corpo e os longos dentes eram armas temíveis. As mãos tinham quatro dedos com grandes garras. Os Allosauria (Figura 5), contemporâneos dos Ceratosauria, eram maiores, alcançando até 12 metros de comprimento. Tinham apenas três garras nas mãos. 

Figura 3. Um Tiranossauro enfrentando um Espinossauro. Fonte da imagem: alphacoders.

Os Tyrannosauridae (Figura 4) do Cretáceo Superior, como Tarbosaurus e Tyrannosaurus (Figura 3) , eram ainda maiores, alcançando até 15 metros de comprimento e cerca de 6 metros de altura. As mãos da forma mais especializada desses gigantes parecem absurdamente pequenas, não servindo nem mesmo para alcançar a boca, e possuíam apenas dois pequenos dedos cada. Em vez de depender das mãos para capturar a presa, como os Ornithomimidae provavelmente faziam, os grandes Theropoda parecem ter concentrado as suas armas no crânio. O tamanho da cabeça crescia de forma relativa ao corpo, enquanto o pescoço encurtava. A cabeça se tornou mais leve para elaboração de uma fenestra série de arcos ósseos e proporcionando a máxima força para um dado peso.

O TEMÍVEL REI DOS DINOSSAUROS

Os Tyrannosauridae eram animais terríveis, mas a perseguição de um jeep em velocidade por um Tyrannosaurus rex (Figura 3), representada no filme Jurassic Park, é ficção em mais de uma sentido, porque os tiranossauros não podiam correr muito rápido.

Figura 4. Gorgosaurus. Fonte da imagem: DeviantArt.

Comparações dos músculos dos membros traseiros de crocodilos e galinhas foram utilizadas para determinar o peso dos músculos das pernas de um tiranossauro para que fosse um corredor rápido. Esse cálculo mostrou que os músculos das pernas deveriam compreender a uma porcentagem impossível de 80% da massa corpórea do animal. Felizmente, para os tiranossauro o mesmo cálculo se aplica para os grandes dinossauros herbívoros predados por eles.

O NOVO ESTUDO

Esse dinossauros eram predadores de sucesso, em parte devido a uma estrutura no dente, que é profundamente serrilhada que lhes permitiram rasgar facilmente através da carne e osso de outros dinossauros, de acordo com um novo estudo publicado na revista Scientific Relatórios.

DENTES PARA MATAR

Os dentes dos terópodes (dinossauros bípedes, carnívoros e onívoros) são caracterizados por zigodontes, a presença de serrilhas nas suas arestas de corte dos dentes. O único réptil vivo hoje que tem a mesma estrutura dentária superficial é o Dragão de Komodo (Varanus komodoensis).

Figura 5. Alossauro. Fonte da imagem: carlo-arellano.deviantart.

"O que é tão fascinante para mim é que todos os dentes dos animais são feitos a partir dos mesmos blocos, mas a forma como os blocos se encaixam para formar a estrutura do dente afeta muito como esse animal processa os alimentos. A complexidade oculta da estrutura do dente em terópodes sugere que eles foram mais eficientes em lidar com presas do que se pensava, provavelmente contribuindo para o seu sucesso ", disse o Dr. Kirstin Brink, da Universidade de Toronto Mississauga, que é o primeiro autor do estudo.

Dr. Brink e co-autores descobriram que o arranjo original de tecidos dentários não se desenvolveu em resposta a estes carnívoros mascarem materiais duros.

Figura 6. Coelophysis. Fonte da imagem: akeiron.deviantart.com

Eles determinaram isto examinando amostras de dentes de dinossauros que ainda não tinham se quebrado através da gengiva, bem como amostras de dentes de dinossauros maduros. Ao contrário dos humanos, os répteis crescem novos dentes ao longo de suas vidas.

"O que é surpreendente e surpreendente sobre este trabalho é que o Dr. Brink foi capaz de tirar os dentes com esses serrilhados como uma faca de cortar carnes e encontrar uma maneira de fazer cortes para obtenção de cortes ao longo da borda de corte destes dentes", disse o co-autor Prof Robert Reisz, também da Universidade de Toronto Mississauga.



"Se você não cortá-los direito, você não vai obter as informações. Isto provocou uma explicação de desenvolvimento para a formação dos dentes; as serrilhas são ainda mais espetaculares e permanentes. "



Figura 7. Os dentes de dinossauros carnívoros como Gorgosaurus estavam cobertos com pequenas serrilhas. Imagem cedida Kirstin Brink.

Os paleontólogos usaram um microscópio eletrônico de varredura e um síncrotron para fazer uma análise aprofundada e análise de fatias de dentes de oito terópodes carnívoros, incluindo o Tyrannosaurus rex, Allosaurus, Coelophysis e Gorgosaurus.

"Apresenta-se o primeiro modelo para o desenvolvimento de dentes zigodontes em terópodes através histológico, SEM, e SR-FTIR, revelando que as estruturas foram previamente propostos para impedir a ruptura do dente em vez primeira evoluiu para moldar e manter as serrilhas características através da vida do dente ", escreveram eles no artigo.

Figura 8. Dilophosaurus. Fonte da imagem: sites.google.com

"Nós mostramos que este novo complexo de morfologia e tecidos dentais caracteriza Theropoda, com a excepção de espécies com comportamentos alimentares modificados, sugerindo que estes caracteres são importantes para facilitar a dieta da maioria dos terópodes hiper carnívoros."


"Esta adaptação pode ter desempenhado um papel importante na radiação inicial e subsequente sucesso de terópodes como predadores terrestres."

Referencias
POUGH, F. Harvery; JANIS, Christine M; HEISER, John B. A vida dos vertebrados. Atheneu Editora São Paulo, 2006. 
Sites: Sri-news.com.

E NÃO DEIXE DE SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO GOOGLE+, PARA ACESSAR E SEGUIR BASTA CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO:

 https://plus.google.com/collection/oV6cQB https://plus.google.com/collection/cI6dQB https://plus.google.com/collection/YU0mQB

Comentários