A planta carnívora mineira

A nova espécie de planta carnívora de Minas Gerais, a Drosera magnifica.

Foto: reprodução/Paulo Gonella

VAMOS DESCOBRIR...

Uma equipe de botânicos do Brasil, Estados Unidos e Alemanha descobriram uma nova espécie de planta carnívora que é encontrada nas regiões serranas de Minas Gerais. Conhecida pelo nome popular de “orvalhinha”, essa planta foi descrita pelo nome científico de Drosera magnifica, e uma pesquisa sobre ela foi publicada no renomado periódico internacional Phytotaxa.

MORFOLOGIA E BIOLOGIA

Podendo atingir até 1,5 m de altura, essa planta vem chamando a atenção por causa de seu tamanho e aparência excepcionais. Na folhagem carnívora, ela tem folhas longas e finas que podem atingir 24 cm de comprimento cada, sendo também bastante pegajosas e reluzentes. O nome orvalhinha é devido a pequenas gotículas de uma mucilagem viscosa e pegajosa produzida por glândulas ou “tentáculos”. Esses “tentáculos” vermelhos e reluzentes são atrativos para possíveis insetos, mas constituem uma armadilha mortal.

Foto: reprodução/Paulo Gonella

LOCAL ONDE FOI DESCOBERTA

Segundo o Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo, a forma que a planta foi descoberta também chama a atenção. Ela foi descoberta por meio de fotos publicadas no Facebook, em 2012. A imagem da planta foi divulgada por Reginaldo Vasconcelos, orquidófilo e entusiasta da flora nativa, que tirou a foto durante caminhadas nas serras próximas à sua cidade, Governador Valadares, no leste de Minas Gerais.


Quando os pesquisadores de plantas carnívoras, Paulo Gonella e Fernando Rivadavia tomaram conhecimento do material identificaram a planta como uma nova espécie e planejaram uma expedição para estuda-la.


O GÊNERO DROSERA


O gênero Drosera são plantas carnívoros cosmopolitas, que compreende cerca de 200 espécies. Os tratamentos mais recentes sobre o gênero no Brasil basearam-se em extensa consulta a espécimes herborizados que, embora informativos, perdem várias de suas características, dada a natureza delicada da maioria das espécies de Drosera. Como resultado, o número de espécies registradas para o país aparece subestimado: 14 espécies são listadas na Lista da Flora do Brasil, o mais extenso trabalho sobre a flora brasileira desde a Flora Brasiliensis (GONELLA & SANO, 2013).

“O gênero Drosera, ao qual essa nova espécie pertence, é o maior grupo de plantas carnívoras, compreendendo cerca de 250 espécies distribuídas pelo mundo todo, mas principalmente em áreas tropicais da Austrália, África do Sul e Brasil”, disse o Dr. Andreas Fleischmann do Jardim Botânico de Munique (Alemanha), um dos autores do trabalho.

Paulo Gonella, um dos pesquisadores responsável pelo estudo sobre a nova espécie. Foto: reprodução/Facebook.

De acordo com o  especialista Rivadavia, que estudou elas na natureza em 2013, logo após sua descoberta no Facebook, na maioria das espécies de Drosera, os tentáculos e até mesmo as folhas são capazes de se movimentar, se dobrando sobre a presa capturada, aprisionando-a com mais mucilagem adesiva e aderindo-a em mais tentáculos. Os insetos, então, morrem sufocados e são lentamente digeridos por enzimas secretadas pela planta. Essa “dieta carnívora” garante uma fonte extra de nutrientes, como o nitrogênio e o fósforo, uma vez que essas plantas costumam habitar solos pobres em nutrientes.


RISCO DE EXTINÇÃO

Apesar de ter sido recentemente descoberta, a Drosera magnifica já enfrenta risco de extinção. A nova espécie foi encontrada em apenas uma montanha, rodeada de pequenas fazendas com criações de gado e plantações de café e eucalipto. Espécies invasoras de gramíneas foram observadas quase até o topo da montanha, que foi quase totalmente desmatada e não é protegida por nenhuma área de preservação ou parque nacional.

Foto: reprodução/Paulo Gonella

“Temos esperança de que a descoberta de uma espécie nova tão extraordinária chame a atenção para a necessidade de se preservar esse frágil ecossistema. Foi uma grande surpresa para todos nós descobrir que essa área foi tão pouco estudada por botânicos, podendo abrigar diversas novas espécies de plantas que ainda não foram descritas para a ciência”, relata o botânico Paulo Gonella, doutorando do Laboratório de Sistemática Vegetal da Universidade de São Paulo, que atualmente realiza seu doutorado sanduíche em Munique, na Alemanha. Outras montanhas próximas foram exploradas pelos cientistas, mas, até agora, nenhuma outra população dessa rara planta foi encontrada.

Referências 

GONELLA, Paulo M. &  SANO Paulo T. SINOPSE DO GÊNERO DROSERA (DROSERACEAE) NO BRASIL. 64º Congresso Nacional de Botânica Belo Horizonte, 10-15 de Novembro de 2013.

Sites: Top Biologia.

E NÃO DEIXEM DE SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO G+, ONDE VOCÊ NÃO PERDE NENHUMA DE NOSSAS ATUALIZAÇÕES (CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA ACESSAR OS LINKS):

https://plus.google.com/collection/A_jjz https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/Q5LvSB

Nenhum comentário:

Postar um comentário