Escorpiões marinhos

Venha ver uma incrível descoberta de um escorpião marinho pré-histórico de 1,7 metros.


 https://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/10/escorpioes-marinhos.html
Fonte da imagem: forums

VAMOS DESCOBRIR...

Pesquisadores da Universidade Yale anunciaram a descoberta de uma nova espécie de escorpião pré-histórico, identificado através de um fóssil encontrado em Iowa, nos Estados Unidos. 

Vejam também:



Pentecopterus decorahensis
Foto: Patrick J. Lynch/Yale University via AP. Fonte da imagem: sci-news.

A pesquisa sobre o animal, publicada na revista científica BMC Evolutionary Biology, mostrou que a espécie tinha 1,7 metros de comprimento e habitava os oceanos muito antes dos dinossauros na Terra, há cerca de 460 milhões de anos.

Batizada de Pentecopterus decorahensis, a espécie foi descrita como a mais antiga conhecida entre os euriptéridos, uma ordem de artrópodes extintos típica do período Paleozoico (de 540 milhões a 250 milhões de anos atrás). Conhecidos como “escorpiões marinhos”, os euriptéridos têm relação com os aracnídeos modernos.

Pentecopterus decorahensis
Foto: JAMES C. LAMSDELL ET AL / BMC EVOLUTIONARY BIOLOGY.

Segundo um dos autores, James Lamsdell, a nova espécie tem formato “incrivelmente bizarro”, com uma longa cabeça protegida por um tipo de escudo. Além disso, o animal tinha um corpo achatado, grandes membros para capturar presas e um membro traseiro em forma de remo, usado para nadar e escavar.

“Talvez o mais surpreendente seja a maneira fantástica como ele está preservado. O exoesqueleto está comprimido em uma rocha, mas pode ser descascado e estudado no microscópio. 


Pentecopterus decorahensis
Fonte da imagem: pinterest.

O estudo mostrou uma quantidade inacreditável de detalhes, como padrões de pelos curtos nas pernas. Às vezes parece que você está estudando a pele descartada por um animal moderno. É uma oportunidade emocionante para qualquer paleontologista”, disse Lamsdell.


A nova espécie foi reconstituída a partir de mais de 150 fragmentos fósseis, escavados na camada superior de uma camada de 27 metros de espessura de xisto argiloso, no interior de uma cratera parcialmente submersa pelo rio Iowa, no nordeste do estado.

Referência 
sci-news.

E NÃO DEIXEM DE SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO GOOGLE+, ONDE CADA UMA DE NOSSAS POSTAGENS ESTÃO EM CATEGORIAS (CLIQUEM NAS IMAGENS ABAIXO PARA ACESSAR OS LINKS):

 https://plus.google.com/collection/YU0mQB https://plus.google.com/collection/cI6dQB

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/o3mmQB

Nenhum comentário:

Postar um comentário