A acidez na chuva

A água da chuva nunca teve a pureza que o senso comum lhe atribui, mas o fato é que, por obra e graça de nossa civilização, ela se torna a cada dia mais impura.
 http://bio-orbis.blogspot.com.br/2015/11/acidez-na-chuva.html
A chuva cai com delicadeza, mas se ácida causa muitos estragos. Fonte da imagem: blog.clubedaquimica.com.

VAMOS DESCOBRIR...

A impureza natural consiste sobretudo na presença de sais marinhos. Mas os gases e fuligens que resultam de atividades humanas interferem no processo de formação das nuvens, o que redunda nas chuvas ácidas. Também a queima de florestas (Figura 2) contribui para o fenômeno.

Figura 2. Floresta danificada pela chuva ácida. Fonte da imagem: slideshare.net.

Convencionalmente, é considerada ácida a chuva (Figura 3) que apresenta valores de pH menores que 5,6. Este valor expressa o equilíbrio químico estabelecido entre o dióxido de carbono (CO²) atmosférico e sua forma ácida solúvel, o íon bicarbonato (HCO-³), em água pura


Figura 3. Fonte da imagem: .jcorreiodopovo.com.br.

O pH define o grau de acidez e uma solução, ou significa um aumento de dez vezes na concentração de íons hidrogênio (H+) livres. O decréscimo de uma unidade de pH significa um aumento de dez vezes na concentração do íon hidrogênio.

Figura 4. Esquema de como a chuva ácida se forma. Fonte da imagem: lookfordiagnosis.com.

Mas, além do dióxido de carbono, outras espécies químicas atmosféricas determinam a acidez da chuva (Figura 4). Vejamos quais são elas e de onde se originam. Na chuva, valores de pH inferiores a 5,6 resultam da presença dos ácidos sulfúrico (H²SO4) e nítrico (HNO³) – os quais, em fase aquosa, encontram-se dissociados, isto é, sob a forma de íons hidrogênio, nitrato (NO³-) e sulfato (SO²4-). 


Figura 5. Fonte da imagem: gazetadopovo.com.br.

Os ácidos sulfúrico e nítrico originam-se das reações e interações que ocorrem na atmosfera entre os óxidos de nitrogênio (NO e NO²), o dióxido de enxofre (SO²) e outras espécies químicas resultantes de vários processos fotoquímicos (isto é, controlados por radiações solares) que ocorrem na atmosfera. Os óxidos de nitrogênio e o dióxido de enxofre tanto podem ter origem natural como derivar de fontes poluidoras.

Referência: W.Z. de Mello e J. S. T. Motta. Ciência Hoje, v.6, n. 34, p. 41-42.

E SE QUISEREM VER MAIS DE NOSSAS POSTAGENS VENHAM SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO GOOGLE+ (PARA ACESSAR E SEGUIR BASTA CLICAR NAS IMAGENS ABAIXO): 

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/Ut3sQB https://plus.google.com/collection/M-zdQB

Comentários