O mico-leão-preto: uma espécie única e ameaçada

As espécies ameaçadas precisam de ajuda. Em geral quando se encontram em riscos de desaparecimento é porque seu habitat foi muito degradado ou a própria espécie superexplorada.

 http://www.bioorbis.org/2018/05/mico-leao-preto-raro-extincao.html
O pequeno mico-leão-preto se escondendo atrás das vegetações dos remanescentes de seu habitat degradado. Fonte da imagem: revistaecoturismo.

VAMOS DESCOBRIR...

Entretanto, regiões que têm espécies ameaçadas podem tirar partido delas para elevar o orgulho das populações que vivem ao seu redor. Especialmente espécies consideradas “belas” pelo ser humano conseguem conquistar uma popularidade bastante grande, se os programas de educação souberem utilizar estratégias apropriadas. Tais espécies servem, então, como símbolos para despertar o interesse em conservação que pode reverter em benefícios para todo o ecossistema onde encontram. Com isso, todas as espécies que vivem no mesmo ecossistema acabam sendo protegidas.

O PEQUENO MICO-LEÃO-PRETO

O mico-leão-preto é um primata de pequeno porte. Possuindo uma pelagem muito abundante e brilhante principalmente ao redor da cabeça como se fosse uma juba, daí o nome de mico leão. A cor é predominantemente preta com tons de castanho amarelado na região lombar e na base da cauda. A pele do rosto é quase nua, apresentando pés e mãos de cor negra. Nesta espécie não há dimorfismo sexual, ou seja não existe diferença entre machos e fêmeas.

mico-leão-preto-espécie-única-extinção
Fonte da imagem: revistaecoturismo.

Esses animais alimentam-se basicamente de invertebrados, frutos, sementes, flores e pequenos vertebrados como rãs, lagartixas, filhotes de aves. Vivem em grupos de 2 a 7 indivíduos, e à noite dormem em buracos nos troncos das árvores. Após o acasalamento, a gestação dura cerca de 4 meses e os nascimentos ocorrem geralmente à noite, entre os meses de setembro e novembro, sendo dois filhotes por ano. O período reprodutivo começa aproximadamente aos 2 anos.

mico-leão-preto-mata-atlântica
Leontopithecus chrysopygus. Fonte da imagem: mma.

É um animal endêmico da Mata Atlântica, ocorrendo em florestas semi-decíduas, altas florestas de brejo e floresta arbustiva, na margem norte do rio Paranapanema, oeste do rio Paraná e trechos do rio Tietê. Hoje está restrito à região sul do estado de São Paulo, compreendendo os municípios de Teodoro Sampaio e Gália. A espécie encontra-se protegida no Parque Estadual do Morro do Diabo/SP, na Reserva Estadual de Caetetus/SP e na Estação Ecológica do Mico Preto/SP.

UM PRIMATA RARO E AMEAÇADO

O mico-leão-preto, cientificamente chamado Leontopithecus chrysopygus, é uma das espécies de primatas mais raras e ameaçadas do mundo. Já foi considerado extinto da natureza por muitos anos e, ainda hoje, sua situação é grave visto que a espécie era listada na IUCN como criticamente ameaçada de extinção. Hoje, devido aos esforços do projeto Mico-Leão-Preto do IPÊ este mico é listado em uma categoria mais esperançosa. A maior ameaça à conservação do mico-leão-preto é a fragmentação das florestas que ocasiona o isolamento e declínio das populações restantes e a consequente degradação do seu habitat.

UM PROGAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA UMA ESPÉCIE AMEAÇADA

O programa de educação ambiental para o mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus) foi implantado em 1988 no Parque Estadual do Morro do Diabo (PEMD), unidade de conservação administrada pelo Instituto Florestal de São Paulo. O programa utilizou o modelo de avaliação contínua que possibilitou a verificação da eficácia de cada etapa para seu aprimoramento.

mico-leão-preto-projeto-conservação
. Fonte da imagem: ipe.

O modelo (proposto por Jacobson em 1991 e adaptado por Padua desde 1991) pode ser dividido em três fases: Planejamento, Processo e Produto (PPP). O PPP facilitou a implementação do programa e a adoção de atividades eficientes, economizando tempo e recursos. O “feedback” periódico sobre a eficácia das atividades empregadas contribuiu muito para a melhoria, a troca ou o abandono de atividades, de acordo com as respostas obtidas.

Referências
Laury Cullen Jr.; Rudy Rudran; Cláudio Valladares-Padua. Métodos de Estudos em Biologia da Conservação & Manejo da Vida Silvestre. Editora UFPR.

Para finalizar veja um vídeo do canal Zoológico de São Paulo, sobre Projeto de Conservação do Mico-leão-preto:


E NÃO PERCA! NAS NOSSAS COLEÇÕES NO GOOGLE PLUS TEM MUITO MAIS:

 https://plus.google.com/collection/o9fhQB https://plus.google.com/collection/YU0mQB

 https://plus.google.com/collection/YLgT0 https://plus.google.com/collection/slsfQB

 https://plus.google.com/collection/8ZnoQB https://plus.google.com/collection/A_jjz

Comentários