Os pterossauros em miniatura?

Foram descobertos fósseis de pequenos pterossauros, anteriormente desconhecido pela paleontologia.

 http://www.bioorbis.org/2018/08/pterossauros-miniatura.html
Uma reconstrução de um artista do pterossauro azhdarchoid. Local: Columbia Britânica, Canadá. Crédito da imagem: Mark Witton.

VAMOS DESCOBRIR...

A ordem dos Pterosauria, variavam de tamanho, desde o Pterodactylus, do tamanho de um pardal, até Quetzalcoatlus (Figura 2), que possuía uma envergadura de 13 metros. A estrutura das asas dos Pterosauria era completamente diferente das aves hoje viventes.

O quarto dedo dos Pterosauria era alongado e sustentava uma membrana de pele fixa às laterais do corpo e, talvez, aos membros pélvicos. Um pequeno osso em forma de tala conectava-se à margem distai do carpo e, provavelmente, sustentava uma membrana que se estendia para a frente até o pescoço. Os primeiros Pterosauria possuíam uma cauda longa com uma porção expandida na extremidade, presumivelmente utilizada na navegação, mas os últimos viventes desses animais não possuíam cauda.

Quetzalcoatlus
Figura 2. Os gigantes Quetzalcoatlus. Fonte da imagem: wikipedia.

As demandas mecânicas para o voo estão refletidas na estrutura dos vertebrados voadores, e não é surpresa que os pterosauros e aves tem um alto grau de evolução paralela. Os ossos longos dos Pterosauria eram ocos, como nas aves e em muitos outros Archosauria, reduzindo o peso com pouca perda de resistência.

PEQUENOS VOADORES


Paleontólogos descobriram restos fossilizados de um pequeno pterossauro (Figura 3), um réptil voador pré-histórico, que viveu cerca de 77 milhões de anos atrás (época do Cretáceo Superior) e tinha aproximadamente uma envergadura de 1,5 m.



Esse novo espécime pertencia a uma família extinta de pterossauros de asas curtas e desdentados, chamados Azhdarchids. É incomum, já que a maioria dos pterossauros do Cretáceo eram muito maiores, com asas chegando a aproximadamente 4 a 11 metros de envergadura.

pterossauro
Figura 3. Uma restauração de um artista, de um pterossauro, representando o espécime do Cretáceo Superior atipicamente diminuto, comparando com o tamanho de um gato doméstico moderno (cerca de 30 cm de altura no ombro). Crédito da imagem: Mark Witton.

Estudos anteriores sugerem que os céus do Cretáceo foram ocupados apenas por pássaros pré-históricos e grandes pterossauros, mas esta nova descoberta, que for registrada na revista Open Science, fornece informações importantes sobre a diversidade e o sucesso desses animais pré-históricos do Cretáceo.

"Este novo pterossauro é excitante porque sugere que pequenos pterossauros estavam presentes até o final do Cretáceo e não foram superados pelas aves", disse a principal autora, Elizabeth Martin-Silverstone, da Universidade de Southampton.



"Os ossos ocos dos pterossauros são notoriamente mal conservados, e animais maiores parecem ser preferencialmente preservados em ecossistemas do Cretáceo Superior da mesma idade na América do Norte." "Isso sugere que um pequeno pterossauro raramente seria preservado, mas não necessariamente que eles não existissem".



A FAMÍLIA AZHDARCHIDAE


Azhdarchidae (Figura 4) foi uma família de pterossauros gigantes do período cretáceo que incluía o famoso gênero Quetzalcoatlus.

Eram provavelmente os maiores animais voadores que já existiram, mas segundo os cientistas, eles passavam boa parte do tempo em terra firme, se alimentando de pequenos animais como lagartos e possivelmente mamíferos.

Azhdarchids
Figura 4. Outro membro da família dos Azhdarchids. Fonte da imagem: novataxa.

Uma das características mais marcantes do grupo é a presença de um pescoço muito alongado e da cabeça grande com bicos desprovidos de dentes. Antigamente se acreditava que, assim como outros pterossauros, os azhdarchidae caçavam no mar como enormes gaivotas, mas hoje sabe-se que eles se alimentavam em terra.

OS RESTOS FÓSSEIS


Embora fragmentado e mal preservado, o espécime é o primeiro remanescente associado de um pequeno pterossauro do Cretáceo.



Os ossos fossilizados (um úmero, vértebras dorsais e outros fragmentos. Figura 5) foram encontrados em Hornby Island, na Colúmbia Britânica, em 2009.

fossil
Figura 5. Restos fósseis dos pterossauros em miniatura. Fonte da imagem: markwitton.

"O espécime está longe de ser o fóssil de pterossauro mais bonito ou mais completo que você já viu, mas ainda é um achado interessante e significativo", disse o co-autor Dr. Mark Witton, da Universidade de Portsmouth.

“É raro encontrar fósseis de pterossauros, porque seus esqueletos eram leves e facilmente danificados depois de mortos, e os pequenos são os mais raros de todos. Mas a sorte estava do nosso lado e vários ossos deste animal sobreviveram as intempéries do ambiente e foram preservados. ”



“Felizmente, o suficiente do espécime foi recuperado para determinar a idade aproximada do pterossauro no momento de sua morte. Ao examinar sua estrutura óssea interna e a fusão de suas vértebras, podemos ver que, apesar de seu pequeno tamanho, o animal estava quase totalmente crescido”.

Azhdarchids
Figura 6. Comparação de tamanho entre várias espécies da família dos Azhdarchids. Fonte da imagem: pterosaurheresies

"O espécime, portanto, parece ser uma espécie genuinamente pequena, e não apenas um bebê ou um juvenil de um tipo maior de pterossauro."



"A ausência de pequenos juvenis de espécies grandes - que devem ter existido - no registro fóssil é evidência de um viés de preservação contra pequenos pterossauros no Cretáceo Superior", disse Martin-Silverstone.

"Isso aumenta o crescente número de evidências de que o período do Cretáceo Superior não foi dominado por espécies grandes ou gigantes, e que os pterossauros menores podem ter sido bem representados neste período".




Referências
Martin-Silverstone E. et al. 2016. A small azhdarchoid pterosaur from the latest Cretaceous, the age of flying giants. R. Soc. Open Sci. 3: 160333; doi: 10.1098/rsos.160333.
POUGH, F. Harvery; JANIS, Christine M; HEISER, John B. A vida dos vertebrados. Atheneu Editora São Paulo, 2006.
Sites: sci-news.com

Para finalizar veja um vídeo do canal Wiz Science™, sobre Azhdarchidae - Video Learning - WizScience.com:


E NÃO DEIXE SE SEGUIR NOSSAS COLEÇÕES NO GOOGLE+:

 https://plus.google.com/collection/Ut3sQB https://plus.google.com/collection/YU0mQB

 https://plus.google.com/collection/UNFrQB https://plus.google.com/collection/cI6dQB

2 comentários:

  1. Elo Perdido ! é Fascinante a Paleontologia a Geologia e o estudo dos Animais Pré Históricos Amo a Natureza !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wagner,

      Realmente é fascinante o estudo da Paleontologia. Agradecemos pelo seu comentário, um forte abraço.

      Equipe BioOrbis.

      Excluir