10 animais brasileiros raros que são vistos poucas vezes

A nossa biodiversidade é incrível e rara. Mas muita dessa raridade pode estar ameaçada e bem provável que algum desses animais você nunca os verá ao vivo.


VAMOS DESCOBRIR...


É inquestionável que a fauna brasileira é de se dar respeito. Muitos animais são encontrados somente em biomas do território brasileiro. E infelizmente muitos estão ameaçados de extinção e até em risco critico. E esse é um dos principais motivos pelo qual talvez você nunca verá um desses ao vivo e a cores na natureza quando for se aventurar em alguma floresta brasileira.


Além de você conhecer esses belos animais, ajuda muito se você divulgar essa postagem para que chegue em mais pessoas, pois o principal objetivo é ajudar na conservação deles.


Então sem mais delongas, vamos a eles.


Os 10 animais brasileiros raros


1 - Anta albina


Este filhote de anta albina foi encontrada quase morta em 2020 no município de Piedade (SP). Foto: Luciano Candisani/Instagram


Vamos começar com um animal que é conhecido por muitos, mas a sua forma albina, bem provável que você nunca a viu e bem difícil você vai vê-la na natureza, pois somente foram fotografadas por câmeras na floresta. A anta-brasileira (Tapirus terrestris), está classificada como vulnerável pela IUCN.


E já temos uma outra postagem em nosso site que fala somente sobre as antas, veja neste link abaixo:

https://www.bioorbis.org/2014/09/anta-jardineira-das-florestas.html


2 - Cuxiú-preto


Fonte da imagem: Wikipedia/Espiritossanto - Flickr


O cuxiú-preto (Chiropotes satanas) é um mamífero que pode ser encontrado na Amazônia. Esta espécie de macaco vem sofrendo com a caça predatória e desmatamento do seu habitat, causando assim escassez de alimentos, já que os frutos das árvores são fundamentais para sua sobrevivência. Por esse motivo este primata está cada vez mais raro de ser visto. Atualmente, está classificada como criticamente ameaçada de extinção.


✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅


3 - Morceguinho-do-cerrado


Fonte da imagem: Wikipedia/Hernanifi - Obra do próprio


Só do fato de ser um morcego, muitas pessoas já querem distância deles. Mas o morceguindo-do-cerrado (Lonchophylla dekeyseri) é um animal pequeno, com cerca de 12 gramas e é uma espécie endêmica do Cerrado. Ele vive em cavernas e buracos nas matas e cerrado do Brasil. A redução do seu habitat, causada principalmente pelo desmatamento, turismo desordenado e degradação ambiental, são as principais causas de ameaça de extinção da espécie, que está classificada em perigo pelo Livro Vermelho do ICMBio. Por isso é bem provável de você ver um deles.


Leia também:


4 - Pica-pau-amarelo


Fonte da imagem: Wikipedia/Hector Bottai - Own work


Sim, exatamente o pica-pau-amarelo, o que deu nome a antiga série de TV o Sítio do Pica-pau-amarelo, ou você achava que ele não existia? O pica-pau-amarelo (Celeus flavus subflavus) é uma ave endêmica do Brasil, sendo originalmente encontrada entre os estados de Alagoas até o Rio de Janeiro. Porém, os registros mais recentes apontam a incidência deste animal somente em locais específicos da Bahia e do Espírito Santo. Essa ave, segundo o Livro Vermelho do ICMBio (2016), está classificada como criticamente ameaçada de extinção. Pesquisadores apontam a existência de aproximadamente 250 indivíduos atualmente. As principais ameaças estão relacionadas à qualidade do seu habitat, que sofre influência do desmatamento e das queimadas.


5 - Sapo-folha


Fonte da imagem: ICMBio/Foto: Marco Freitas


Esse sim vai ser muito difícil de se ver, pois tem uma camuflagem quase perfeita. O sapo-folha (Proceratophrys sanctaritae) é uma espécie endêmica do Brasil, descrito cientificamente há pouco tempo e que já se encontra em perigo de desaparecer. Ele foi descoberto em 2010 na Serra do Timbó, no estado da Bahia. A espécie sofre com o desmatamento do seu habitat por causa do cultivo de cacau, banana e das pastagens. Atualmente, de acordo com o ICMBio, ele está classificado como criticamente ameaçado de extinção.


Leia também:


6 - Toninha


Foto: Chase Dekker / Shutterstock.com


A toninha (Pontoporia blainvillei) é um golfinho que pode ser encontrado na região costeira do Brasil, Uruguai e Argentina, passando pelo litoral do Espírito Santo até o Rio Grande do Sul. A captura da espécie em redes de pesca e a baixa capacidade de reprodução, fazem com que a toninha seja considerada como criticamente ameaçada de extinção no Brasil, de acordo com o Livro Vermelho do ICMBio (2016). Você só vai conseguir ver um animal incrível desses se você for ao pegar um barco no litoral, mesmo assim as chances são baixas.


Leia também:


7 - Uacari


Fonte da imagem: ICMBio/Jean Philipe Boubli CPB


Este primata é bem furtivo, vive em florestas densas, e bem provável você nunca conseguir ver um. O uacari (Cacajao hosomi) é encontrado na Amazônia e vem sofrendo com o desmatamento da região e a caça, já que habita terras indígenas dos Yanomamis. A espécie está classificada em perigo de extinção.


Leia também:


8 - Soldadinho-do-araripe


Fonte da imagem: Wikipedia/Rick elis.simpson - Obra do próprio


Esta bela ave com suas cores exuberantes se destaca na vegetação, mas se quiser ver uma delas só indo a um lugar, e mesmo assim as chances são poucas. O soldadinho-do-araripe (Antilophia bokermanni) é uma ave que vive na caatinga, em área restrita da Chapada do Araripe, no Ceará. Ela vem sofrendo com o problema do desmatamento da região, provocado pela criação de gado, monoculturas e o crescimento desordenado das cidades. Segundo o ICMBio (2016), a espécie é classificada como criticamente ameaçada de extinção.


9 - Tartaruga-oliva


Fonte da imagem: Wikipedia/Thierry Caro


Já é difícil ver tartarugas marinhas, e está mais ainda. A tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) é uma espécie altamente migratória, que desova principalmente entre o litoral sul do Alagoas e o norte da Bahia. Assim como a tartaruga-de-couro, ela também sofria com a coleta dos ovos e abate no período da desova, o que tem diminuído por conta de muitos projetos conservacionistas. A espécie ainda enfrenta problemas como a caça ilegal, pesca acidental e a poluição das águas, provocando assim o risco de extinção, que segundo o Livro Vermelho do ICMBio (2016), é classificada na categoria em perigo.


Leia também:


10 - Perereca-pomba


Fonte da imagem: ICMBio/Foto: Clodoaldo Assis


E para finalizar, um animal que bem provável que vá sumir antes de você conhecer. A perereca-pomba (Aparasphenodon pomba) foi recentemente descrita (2013), conhecida apenas de sua localidade tipo, no município de Cataguases, zona da mata do estado de Minas Gerais. Ela vive em um fragmento de floresta de 1,36 km2, uma localização (B1a), fora de Unidade de Conservação e também não há áreas protegidas próximas. A região onde ela vive foi relativamente bem pesquisada por cientistas e a espécie não foi encontrada fora dessa localidade-tipo. Essa área onde ela vive já está bastante modificada (há apenas 4,6% de remanescentes de vegetação nativa, até 2009) e há perda recente de florestas. A principal ameaça à espécie é a conversão da área florestada em área industrial (atividade forte na região), que aliada à atividade agropastoril, causam declínio da qualidade do hábitat. Por esses motivos, a perereca-pomba foi considerado como Criticamente em perigo, e bem provável que seja extinta.


SE VOCÊ TEVE A SORTE DE TER VISTO ALGUMA DESSES ANIMAIS AO VIVO NA SUA FRENTE, DEIXE NOS COMENTÁRIOS SUA HISTÓRIA

Nenhum comentário:

Imagens de tema por andynwt. Tecnologia do Blogger.