Terpenos Canábicos: entenda a sua importância no sistema endocanabinoide

Você já ouviu falar de Terpenos Canábicos? Sabia que eles podem interagir com o sistema endocanabinoide? Então, entenda essa relação agora!


Fonte da imagem: Canva.

VAMOS DESCOBRIR...


Terpenos da Cannabis: entenda a sua importância para o sistema endocanabinoide


Os terpenos da cannabis são compostos orgânicos e aromáticos extraídos da planta que podem oferecer diversos efeitos benéficos e terapêuticos.

 

O assunto é tão complexo e técnico que existem hoje cursos de cannabis medicinal exclusivamente voltado para profissionais médicos, a fim de capacitá-los para os avanços das práticas terapêuticas que envolvem a cannabis.

 

Segundo estudos dirigidos pela Green Entrepreneuer, há uma estimativa de que a planta possua mais de 200 terpenos e que cada um deles contenha propriedades que merecem atenção.

 

Quando o assunto é a ação dos terpenos no sistema endocanabinoide, ainda há pouco entendimento, por isso, vamos abordar neste artigo os principais pontos.

 

Confira conosco e boa leitura!


O que são terpenos?


Fonte da imagem: Canva


Antes de falarmos especificamente sobre os terpenos da cannabis, é preciso entender um pouco mais sobre estes compostos. De modo geral, eles são hidrocarbonetos orgânicos com aromas e na planta, têm a função de atrair polinizadores e até mesmo repelir predadores.


Toda planta produz dois tipos de compostos, que podem ser divididos entre metabólitos primários e secundários. Os primários cuidam do crescimento e desenvolvimento da planta, enquanto os secundários as protegem do ambiente físico. Dentre os secundários, estão os terpenos.


As quantidades e propriedades de um terpeno podem variar conforme as adversidades do ambiente, ou seja, uma planta é capaz de produzir terpenos em maior ou menor quantidade de acordo com sua necessidade.


Leia também:


Os óleos essenciais são terpenos naturais


A melhor forma de compreender o que é um terpeno é pensar que eles são responsáveis pelo cheiro que sentimos de uma planta. Em outras palavras, quando você aproxima o nariz de algum odor como o sândalo, pau de canela ou limão, o que causou o cheiro foi a atuação do terpeno. Com o advento cada vez maior da aromaterapia, a extração de óleos essenciais para aplicação em produtos cosméticos, perfumes ou até mesmo em algumas terapias, observamos a utilização dos terpenos para os mais diversos fins.


Classificação dos terpenos


Os terpenos podem ser classificados a partir do tamanho da cadeia de moléculas que os compõem. Em resumo, sua composição principal é conhecida como isopreno, pois possui 5 átomos de carbono ligados a 8 átomos de hidrogênio. A partir dela, se constroem terpenos mais simples ou mais complexos, existindo cadeias com mais de 1.000 isoprenos.


Hemiterpenos (C5)

Presente em plantas como o crisântemo, este terpeno possui propriedades interessantes para o controle de pragas. É encontrado, por exemplo, no óleo extraído das flores da árvore e do lúpulo de Cananga odorata (Humulus lupulus).


Monoterpenos (C10)

Os monoterpenos são frequentemente encontrados em óleos essenciais ou essências cítricas, como o mentol, linalol, citral e em azeites aromáticos. Alguns desses compostos enriquecem os tecidos florais dos gerânios (Pelargonium sp.) e na cera que cobre a plumagem de algumas aves.


Sequiterpenos (C15)

Muito comuns em alguns tipos de cipós, como o guaco, apresentam propriedades de relaxamento muscular.


Diterpenos (C20)

Estão presentes em resinas da copaíba e do bálsamo.


Triterpenos (C30)

Apresentam propriedades anticancerígenas e estão presentes em plantas frutíferas como a manga e sapoti, além de vários tipos de angiospermas.


Tetraterpenos (C40)

Também são conhecidos como carotenoides, são responsáveis pela pigmentação presente em algumas plantas como pimentão, cenoura, tomate e beterraba. Os tetraterpenos podem corresponder a até 0,1% do peso seco de uma planta inteira!


Politerpenos

Apresentam unidades maiores que 40 ligações e estão presentes no látex da seringueira, por exemplo.


Leia também:


Alguns exemplos de terpenos e suas funções


Dentre os vários tipos de terpenos, podemos destacar os trienos, com propriedades bactericidas e analgésicas. Já os carotenoides, auxiliam na síntese da vitamina A pelo organismo. Por último, temos o limoneno, que apresenta propriedades ansiolíticas, imunoestimuladora e antidepressiva.


Terpenos da Cannabis


Após conhecer mais sobre os diferentes tipos de terpenos, é o momento de entender quais são os terpenos da Cannabis e a sua importância para o sistema endocanabinoide.


Os terpenos são produzidos pelos tricomas - mesma glândula da planta de cannabis que produz o THC, o CBD e outros canabinoides. Para resumir, elencamos os principais terpenos da Cannabis e como eles agem no organismo.


Mirceno

É o terpeno que encontramos em maior quantidade na cannabis, mas também está presente em espécies como o pinheiro, manjericão e lúpulo. Com um cheiro entre cítrico e amargo, apresenta efeitos sedativo, ansiolítico, relaxante muscular, além de propriedades analgésica e anti-inflamatória.


Limoneno

Dentre os terpenos mais abundantes do reino vegetal, o limoneno se destaca porque está presente em frutas muito comuns no dia a dia dos brasileiros. Por exemplo, no limão, laranja e na tangerina. O limoneno demonstra efeitos antidepressivos, ansiolíticos e antineoplásicos. E em associação com os outros terpenos, os efeitos podem ser potencializados.


Beta-cariofileno

Cravo, lúpulo, alecrim, tomilho e cannabis. Estas são algumas das plantas de onde é possível extrair este terpeno que possui ações anti-inflamatória, relaxante muscular e ansiolítica.


Linalol: o mais aromático dos terpenos da Cannabis

O amplo emprego do linalol pela indústria de cosméticos se explica pelo seu cheiro agradável e sua capacidade de exalar fortes aromas. Entretanto, muito mais do que cheiro agradável, o linalol extraído da cannabis pode ser uma valiosa ferramenta sedativa, antidepressiva, antiespasmódica, anticonvulsivante e analgésica.


Leia também:


Atuação dos terpenos da Cannabis no sistema endocanabinoide


Fonte da imagem: Canva.


Os terpenos da Cannabis, assim como os canabinoides, interagem no organismo com os receptores do sistema endocanabinoide e produzem uma sinergia, chamada de efeito entourage, ou efeito em comitiva, que potencializa os efeitos terapêuticos da cannabis. Por meio das mais diversas combinações, os terpenos são capazes de atuar em todos os sistemas do corpo humano, impactando de forma positiva a melhora da saúde e bem-estar em diversas situações clínicas.

Nenhum comentário:

Imagens de tema por andynwt. Tecnologia do Blogger.