Os raros e incríveis golfinhos preto e branco

Sim, golfinhos Ying & Yang, preto e branco, conheçam esses incríveis cetáceos.


 http://www.bioorbis.org/2014/05/golfinhos-preto-branco.html
O magnífico golfinho preto e branco. Fonte da imagem: flickr. Foto: Pablo Caceres Contreras.

VAMOS DESCOBRIR...


A FAMÍLIA DOS GOLFINHOS


Os golfinhos, delfins, peixes-botos, botos, toninhas ou franciscanos são animais cetáceos pertencentes às famílias Delphinidae e Platanistidae. São perfeitamente adaptados para viver no ambiente aquático, sendo que existem 37 espécies conhecidas de golfinhos de água salgada e água doce. A espécie mais comum é a Delphinus delphis.



São nadadores privilegiados, às vezes saltando até cinco metros acima da água. Podem nadar a uma velocidade de até 40 quilômetros por hora e mergulhar a grandes profundidades. Sua alimentação consiste basicamente de peixes e lulas. Podem viver de 20 a 35 anos e dão à luz um filhote de cada vez. Vivem em grupos, são animais sociáveis, tanto entre eles, como com outros animais e humanos.



OS GOLFINHOS PRETO E BRANCO


O golfinho-liso-do-sul (Lissodelphis peronii) é um cetáceo encontrado em águas do hemisfério Sul. O animal se diferencia de seus “primos” visualmente por sua cor preta e branca.

Figura 2. Espécies golfinhos-liso-do-sul (Lissodelphis peronii). Fonte da imagem: namu.

O animal, membro da família dos golfinhos (Delphinidae), não apresenta barbatana dorsal, daí a designação “liso”. Essa é uma característica incomum compartilhada apenas com as baleias-francas, do gênero Eubalaena.



Como outros golfinhos, são nadadores privilegiados, às vezes, saltam até cinco metros acima da água. Além disso, podem nadar a uma velocidade de até 40 km/h e mergulhar a grandes profundidades. Sua alimentação consiste basicamente de peixes e lulas. Podem viver de 20 a 35 anos e dão à luz um filhote de cada vez.


Figura 3. Golfinhos-liso-do-sul (Lissodelphis peronii). Fonte da imagem: tsammalex.

Seu status de conservação na IUCN é de sem dados suficientes, ou seja este animal pode estar em risco crítico de extinção mas não sabemos, pois se sabe muito pouco sobre eles.
Referências

POUGH, F. Harvery; JANIS, Christine M; HEISER, John B. A vida dos vertebrados. Atheneu Editora São Paulo, 2006.

Sites: TopBiologia

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.