A descoberta da serpente mineira (Atractus spinalis)

Uma bela serpente foi descoberta por uma rquipe de pesquisadores brasileiros no Parque Nacional da Serra do Cipó.


 https://www.bioorbis.org/2014/09/nova-especie-de-serpente-brasileira-e.html
A serpente Atractus spinalis. Fonte da imagem: Natureza e Conservação.

VAMOS DESCOBRIR...


A DESCOBERTA DA SERPENTE EM MINAS GERAIS


Pesquisadores de três instituições brasileiras encontraram uma nova espécie de serpente, Atractus spinalis, embaixo de rochas e cupinzeiros do Cerrado, na Serra do Espinhaço, lugar que abriga grande diversidade biológica. A região está localizada no Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais.



Pertencente à família Dipsadidae, o réptil mede aproximadamente 30 centímetros de comprimento, possui cauda curta e coloração avermelhada, com estrias escuras. De acordo com os pesquisadores, a espécie não oferece risco à saúde humana e é endêmica da região.

Apesar da descoberta ter sido oficializada em março de 2013 com a publicação de artigo na revista Papéis Avulsos de Zoologia, do Museu de Zoologia da USP, só foi divulgada agora. O estudo teve apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.



Os pesquisadores responsáveis pela descoberta são: Paulo Passos, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Mauro Teixeira Junior, Renato Recoder, Marco Aurélio de Sena, Francisco Dal Vechio, José Cassimiro e Miguel Trefaut Rodrigues da Universidade de São Paulo (USP); Hugo Bonfim e Sonia Mendonça, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Repteis e Anfíbios do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (RAN-ICMBio).


ESTRATÉGIAS DE CONSERVAÇÃO PARA A SERPENTE Atractus spinalis


Até o momento, não se sabe qual o grau de ameaça de extinção da nova espécie. Porém, ela já conta com ações de proteção no Plano Nacional de Conservação de Répteis e Anfíbios Ameaçados de Extinção na Serra do Espinhaço, elaborado pelo RAN-ICMBio.


Serpente mineira (Atractus spinalis). Fonte da imagem: noticias.r7

Previsto para estar concluído em cinco anos, esse documento prevê a implementação de ações que reduzam ameaças às espécies, o aumento de conhecimento sobre elas e a conservação de habitats.

A Atractus spinalis se soma às 1.815 espécies de répteis e anfíbios identificados no Brasil, listadas pela Sociedade Brasileira de Herpetologia, mas os pesquisadores acreditam que existem muitas outras que ainda não foram descobertas.



"Nosso conhecimento sobre a diversidade brasileira ainda é pequeno, principalmente quando migramos para áreas de difícil acesso, como é o caso da Serra do Espinhaço. Por isso, investir em pesquisa científica é indispensável para a descoberta de novas espécies e também para identificar as ameaças às já descritas", disse o biólogo Hugo Bonfim.

Referência
National Geographic Brasil

Para finalizar veja um vídeo do nosso canal BioOrbis, sobre Devagar e sempre: Como as COBRAS se locomovem? 🐍:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.