Fique ligado em seu cãozinho! Ele pode estar com depressão

Você sabia que seu cão pode estar com depressão?

 https://www.bioorbis.org/2014/11/fique-ligado.html
Seu cachorro pode estar com depressão. Pixabay/Domínio Público.

VAMOS DESCOBRIR...

A DEPRESSÃO EM CACHORROS


Assim como os humanos os cães e a grande maioria dos mamíferos podem ficar deprimidos. Nos animais de estimação, um dos principais sintomas é a falta de interesse pelas atividades rotineiras, como comer, passear, brincar.

A origem pode ser genética ou causada por doenças, como viroses. Manter um animal isolado do carinho do dono ou preso em um ambiente pequeno e sem estímulos também pode gerar depressão. E até mesmo o estado depressivo do dono pode afetar o animal.


Vale lembrar também que outros animais como aves, repteis, anfíbios e peixes podem alterar seu comportamento devido ao stress sofrido por eles, seja ele ambiental, físico ou de outro tipo.



Fique atento a estes sinas em seu cachorro!


Como dito no inicio alguns sintomas mostram que o seu cachorro tem depressão, mas então fica atento a este sinais:

- Perda de apetite;
- Perda de peso;
- Recusa em brincar com tutores ou outros pets;
- Prostração; Isolamento;
- Agressividade repentina;
- Olhar perdido e triste;
- Lambedura excessiva (principalmente do focinho);
- Bocejos e coceiras frequentes e sem motivo, Automutilação em extremidades do corpo (cauda e patas).


O que leva a um cachorro ficar triste?


Estes são algumas das principais situações que podem levar ao surgimento da depressão: 

- Mudança de casa ou mudanças no ambiente;
- Morte ou ausência de um membro da família;
- Morte ou ausência de um pet com o qual o cão tinha convívio próximo;
- Chegada de um novo pet ou membro da família (como bebês);
- Maus-tratos;
- Adestramento inadequado (com uso de punições), Longos períodos preso e sem passeio, principalmente em espaços pequenos.


Diagnóstico, tratamento e prevenção da depressão em cachorros


Como se deve fazer com qualquer outra doença, em caso de suspeita de depressão, o veterinário sempre deverá ser consultado. Além de ser o único capaz de dar orientações adequadas e de prescrever medicamentos, só ele poderá confirmar o diagnóstico de depressão.



Mas aqui vai algumas medidas simples que são recomendadas não só para tratar, mas também para evitar que o cachorro fique triste:

- Companhia: tire um tempo do seu dia para brincar e dar atenção a seu amigo! Demonstre afeto, faça carinho, converse e procure agradá-lo com desafios e, claro, petiscos como recompensa;

- Passeios: são fundamentais para a saúde física e mental dos cães. Os horários mais recomendados são antes das 10h e após as 16h. Leve sempre água para hidratar o pet;

- Higiene: ela também é importante para o bem-estar canino. Nunca descuide dos banhos regulares e da escovação;

- Enriquecimento ambiental: o tédio e a frustração andam junto com quadros de ansiedade e depressão. Ainda mais para pets que passam muito tempo sozinhos. Procure entretê-los na sua ausência com brinquedos interativos. “Se achar que ele prefere ficar na presença de sons, deixe uma música ou a TV ligada. Hoje em dia, existe até canal de assinatura feito para cachorros”, sugere a médica-veterinária.

Bom essas foram algumas dicas para que seu melhor amigo de quatro patas nunca entre em depressão.


Referência
LOPES, Sônia; ROSSO, Sérgio. Biologia. Volume único. Editora Saraiva, 2006.
Sites: Cão Cidadão; Petz.com.br

Nenhum comentário:

Imagens de tema por konradlew. Tecnologia do Blogger.