Os 5 insetos mais venenosos do mundo

Vamos descobrir agora os insetos mais venenosos do mundo. E entre eles alguns que você já deve ter encontrado por ai.

https://www.bioorbis.org/2015/04/insetos-mais-venenosos-do-mundo.html

VAMOS DESCOBRIR...


Comum no Brasil, a Lonomia obliqua é uma lagarta com o corpo coberto por pelos espinhosos, considerada uma das mais venenosas no mundo.



De acordo com os entomologistas, especialistas em insetos, há quase 1 milhão de espécies catalogadas, mas os cientistas estimam que o total de insetos no planeta pode chegar a 10 milhões. Divididos em três grupos, há insetos que transmitem doenças, aqueles que são considerados pragas e os venenosos.

Agora vamos a nossa lista dos 5 insetos mais venenosos do mundo:


1 - Lagarta Lonomia obliqua


Figura 2. A lagarta Lonomia obliqua. Fonte da imagem: Wikipédia

Entre os insetos mais venenosos do mundo está a Lonomia obliqua. Comum no Brasil, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, essa taturana tem o corpo coberto por pelos espinhosos que soltam um veneno poderoso. A substância inibe a coagulação do sangue das vítimas e causa hemorragias que podem levar à morte.

2 - Abelha Apis mellifera


Figura 3. A abelha Apis mellifera. Fonte da imagem: Wikipédia

As populares abelhas parecem inofensivas, mas são perigosas porque, além de irritadiças, costumam atacar em bando. 



A Apis mellifera é um exemplo delas, pois quando alguém recebe várias picadas, o excesso de veneno pode causar insuficiência renal e anemia aguda. Quanto mais ferroadas, maior o risco de morte.

3 - Formiga cortadeira


Apesar do tamanho, a formiga cortadeira é o inseto mais venenoso do mundo, mas não representa qualquer ameaça para os seres humanos. 


Figura 4. Formiga cortadeira. Fonte da imagem: unibras.com.br.

A espécie pode ser encontrada em todas as regiões dos Estados Unidos e seu veneno é cerca de 25 vezes mais forte do que o da abelha. A vantagem é que o veneno é entregue em pequenas doses, tornando a espécie bastante inofensiva.



4 - Vespa mandarinia


Já das 500 espécies de vespa, cerca de 300 têm veneno. No Japão, a vespa mandarina, além de ser considerada como a maior espécie, também é tida como a mais venenosa. 


Figura 5. Vespa mandarina - Fonte da imagem: petmg

O inseto possui uma neurotoxina em seu veneno e seus ataques matam 40 pessoas por ano em todo o mundo. No quesito tamanho, a mandarina atinge quase 50 milímetros de comprimento com 76 milímetros de envergadura e pode voar a 36 km/h.



5 - Potó (Paederus)


Figura 6. O besouro-fogo-selvagem (Paederus). Fonte da imagem: Wikipedia/Husni Che Ngah

Esses besouros são os mais difundidos e conhecido entre os coleópteros da família Staphylinidae. Já foram registrados vários acidentes em diversos países.

São insetos voadores de hábitos noturnos, são atraídos pela luz artificial de residências, provocando se em contato com ele quadros de dermatite linear. Alimentam-se de detritos vegetais, sendo bastante comuns em lavouras de milho e feijão.



Em um estudo clássico de Pavan & Dazzini, utilizaram cerca de 100 kg de Paederus fuscipes (aproximadamente 25 milhões desses insetos capturados), caracterizou-se a toxina como sendo a pederina, uma amida cristalina de potente ação cáustica e vesicante, solúvel em água e álcool e capaz de bloquear mitoses agindo no DNA celular. As fêmeas desses insetos contêm cerca de 10 vezes mais secreções tóxicas que os machos, cuja função é defensiva. Não foram registrados casos de óbito por esses pequenos insetos, mesmo tendo uma toxina potente, é bom tomar cuidado, pois pessoas com alergias podem ter complicações.

Referências
CARDOSO, João Luiz Costa; FRANÇA, Francisco Oscar de Siqueira; JÚNIOR, Vidal Haddad; MALAQUE, Ceila Maria Sant' Ana; WEN, Fan HuiAnimais Peçonhentos no Brasil, Biologia, Clínica e Terapêutica dos acidentes. Editora: Sarvier. 2009.
EDITORE, Alberto Peruzzo. Autênticos insetos de coleção. Insetos, aracnídeos e outros artrópodes. A natureza de 1000 formas e cores, 2008.
PAVAN M; DAZZINI, M.V. Toxicology and pharmacology - Arthropoda. In: Florkin M, Scheer BT, editors. Chemical Zoology. London: Acacemic Press, 1971:365-409.
Sites: Pensamento Verde

Nenhum comentário:

Imagens de tema por konradlew. Tecnologia do Blogger.