Tartarugas Doentes e os riscos da soltura de espécies

Vamos mostrar aqui um caso interessante sobre uma doença que afetou tartarugas e o que isso tem a ver com a soltura de espécies.

 https://www.bioorbis.org/2018/11/tartarugas-doentes-risco-soltura-especies.html
Um pequeno jabuti. Pixabay/Domínio Público.

VAMOS DESCOBRIR...

O CASO DO JABUTI-DO-DESERTO


O jabuti-do-deserto (Gopherus agassizi, Figura 2) é um dos maiores quelônios terrestres da América d o Norte. Sua distribuição geográfica inclui o canto sudoeste de Utah, o terço sudoeste do Arizona, partes adjacentes de Nevada e d a Califórnia e se estende par a o sul até o México.

Jabuti-do-deserto-Gopherus-agassizii
Figura 2. O Jabuti-do-deserto (Gopherus agassizii). Fonte da imagem: Sthutterstock.

As populações de jabutis-do-deserto declinaram desde a década de 1950, à medida que a atividade humana invadia o habitat do deserto. Entre 1979 e 1989, a maioria das populações de jabuti s dos desertos de Mohave e Colorad o diminuiu de 30 a 70 por cento.



A situação tomou-se ainda mais grave com o aparecimento da doença das vias respiratórias superiores (DVRS), que ataca os jabutis-do-deserto, muitas vezes com resultados fatais. De início, os quelônios infectados apresentam corrimento nasal, que se tom a progressivamente pior até que os animais exsudam espuma pelas narinas, ofegam ao respirar, param de comer, definham e por fim morrem (Figura 3).

jabuti-toupeira-doente-Mycoplasma
Figura 3. Um jabuti-toupeira com corrimento nasal. O defluxo nasal e os olhos inchados são sinais de que este jabuti está infectado com Mycoplasma, que causa doença das vias respiratórias superiores.

Em 1988, os jabutis da Área Natural dos Jabutis-do-Deserto, no Condado de Kem, Califórnia, apresentaram pela primeira vez os sintomas da DVRS. Em 1989, foram encontrados 62 7 jabutis mortos e 43 por cento dos jabutis vivos da Área Natural apresentava m sintomas da DVRS.

A DOENÇA CAUSADA POR BACTÉRIAS 


Uma grande variedade de bactérias foi cultivada a partir dos dutos nasais de tartarugas doentes, incluindo Mycoplasma, que mais tarde foi identificada como o agente causador da doença. Os jabutis-do-deserto são animais de estimação populares no sudoeste do deserto e um grande número de quelônios domésticos está infectado por Mycoplasma.



A infecção talvez tenha sido introduzida na Área Natural dos Jabutis-do-Deserto quando jabutis de estimação foram soltos, e sua propagação teria se acelerado devido ao mau estado físico dos jabutis selvagens, resultante da degradação do habitat e de uma seca prolongada. As infecções por Mycoplasma são notoriamente de difícil cura. Os jabutis cativos pode m ser tratados com um a combinação de antibióticos, mas não há um tratamento prático para os jabutis selvagens.

jabuti-toupeira
Figura 4. Um jabuti-toupeira. Pixabay/Domínio Público.

A DVR S foi registrada atualmente e m um a população de jabutis-toupeira (Gopherus polyphenus) da ilha Sanibel, a o largo da costa d a Flórida. Mai s um a vez parece que jabutis cativos introduziram a infecção na população selvagem: até 1978 soltavam-se na ilha Sanibel os jabutis usados em corridas, os quais, infectados, pode m ter carregado consigo a bactéria Mycoplasma.

OS RISCOS DE SOLTURA DE ESPÉCIES DE CATIVEIRO


Esses exemplos enfatizam o risco de soltar em populações selvagens animais que foram mantidos em cativeiro. Os programas de reprodução em cativeiro devem tomar medidas extraordinárias para garantir que os animais que serão soltos passem por um período de quarentena, em instalações isoladas de outros animais.



Uma colônia reprodutiva deveria ser autossuficiente; um a vez estabelecida, nenhum animal externo deveria ser introduzido e nenhum equipamento ou embalagem deveria entrar ou sair. Mesmo as vestimentas dos tratadores dos animais carregam agentes patogênicos, por isso deve ser providenciado um vestiário onde os tratadores possam se lavar e trocar de roupa ao entrar e sair. Essas precauções exigem tempo e dinheiro, mas pode ser desastroso negligenciá-las.



Referência
POUGH, F. Harvery; JANIS, Christine M; HEISER, John B. A vida dos vertebrados. Atheneu Editora São Paulo, 2006.

Para finalizar veja um vídeo do canal TVTamar, sobre Projeto Tamar: Abertura de ninhos de tartarugas marinhas e soltura de filhote:


Nenhum comentário:

Postar um comentário