Descubra a estranha interação entre a mariposa brasileira que bebe as lágrimas dos pássaros adormecidos

Em meio a densa floresta Amazônica, uma estranha espécie de mariposa pode ajudar a explicar como o comportamento raro afeta as pobres aves.

 https://www.bioorbis.org/2019/05/descubra-estranha-interacao-mariposa-brasileira-bebe-lagrimas-comportamento-animal.html
Biólogo avistou está mariposa (Gorgone macarea) no pescoço de um solta-asa-do-norte no Brasil, com sua longa probóscide pronta para beber as lágrimas do pássaro. Foto de Leandro Moraes.

VAMOS DESCOBRIR...

Essa estranha mariposa foi flagrada pelo biólogo Leandro de Moraes, bebendo as lágrimas de um pássaro adormecido no meio da Floresta Amazônica, coisa bizarra não é mesmo?

Essa foi a primeira vez que esse comportamento foi relatado no Brasil e é apenas o terceiro caso conhecido em todo o mundo. Mariposas e borboletas já foram frequentemente observadas alimentando-se das lágrimas de crocodilos, tartarugas e mamíferos. Acredita-se que seja uma forma de obter sal, um nutriente essencial que não está presente no néctar e pode ser difícil de encontrar em outro lugar. As lágrimas das aves podem ser alvo pelo mesmo motivo. No entanto, a área onde este caso foi testemunhado é inundada anualmente por um rio próximo e a água absorve muito sal do solo. Como o sal está prontamente disponível, segundo o biólogo Leandro Moraes, que fez a recente descoberta que foi publicada na revista Ecology, e ficou bastante intrigado.



“O intrigante aqui é por que essas mariposas complementam sua dieta salina ao beberem lágrimas de aves em tal ambiente”, diz Moraes, biólogo do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia em Manaus.



LÁGRIMAS PRECIOSAS


Moraes estava à procura de anfíbios e répteis à noite, quando viu o estranho comportamento. Na floresta, ao lado do rio Solimões, ele viu um Gorgone macareamoth (a mariposa estranha) sentada no pescoço de um pobre pássaro conhecido como solta-asa-do-norte (Hypocnemoides melanopogon), veja na Figura 2. “Encontrar um pássaro adormecido por si só já é incomum”, diz ele.

“A maior surpresa, no entanto, veio quando notei o que estava acontecendo, percebendo que a mariposa estava inserindo sua probóscide no olho do pássaro.” Parte superior do formulário.

A probóscide da mariposa (veja na Figura 3), uma parte bucal tubular longa, é usada para sugar líquido como um canudo. Uma mariposa conhecida por se alimentar de lágrimas de Madagáscar a utiliza como um gancho para ajudar a prendê-la durante a alimentação, mas ainda não sabemos se a probóscide da mariposa da Amazônia também tem ganchos, pois ainda não foi investigada. No entanto, é longa o suficiente para permitir que a mariposa permaneça longe do olho do hospedeiro, evitando acordá-lo. As mariposas normalmente não usam seu “canudo” para se alimentar de animais. Na parte da floresta tropical onde a mariposa recém-nascida foi flagrada, borboletas e mariposas se reúnem perto do solo inundado e sugam o líquido salgado com seus probóscides, um comportamento chamado mud-puddling.


Hypocnemoides-melanopogon
Figura 2. O pássaro solta-asa-do-norte (Hypocnemoides melanopogon). Por Bruno Rennó | Wiki Aves - A Enciclopédia das Aves do Brasil.

No entanto, quando as águas da inundação se dispersam, o fluido salgado pode ser transferido para outro local, deixando os insetos sem sua fonte de sal. “A escassez de recursos em uma determinada região em um mês específico pode explicar por que as mariposas estão buscando fontes adicionais de nutrientes nas lágrimas das aves”, diz Moraes.



As mariposas também podem estar procurando outro tipo de alimento: proteína. Embora usualmente adquiram a substância do néctar das plantas, as lágrimas - que contêm albumina e globulina, dois tipos de proteína - podem atuar como um suplemento. Um aumento de proteína pode ajudá-los a voar mais e aumenta seu sucesso reprodutivo e expectativa de vida.

“Os fluidos de vertebrados são a principal fonte alternativa de obtenção de proteínas”, diz Moraes. A calyptra, por exemplo, se alimenta do sangue de animais - ou humanos.



MAS E OS POBRES PÁSSAROS, COMO FICAM?


Independentemente do que as mariposas obtêm ao beberem lágrimas, ainda não se sabe se a alimentação lacrimal afeta os hospedeiros. As mariposas atacam os animais enquanto dormem, e acredita-se que as aves sejam indiferentes à extração da lágrima, uma vez que não mostram sinais de desconforto.

“Pássaros adormecidos geralmente acordam rapidamente e escapam quando percebem um perigo”, diz Moraes.



É possível que o comportamento possa representar riscos para as aves. Suspeita-se que as mariposas que bebem lagrimas transmitem doenças oculares ao gado quando cutucam os olhos.



As mariposas não são os únicos insetos que se alimentam de lágrimas. De acordo com Michael Engel, da Universidade do Kansas, que relatou o primeiro caso de uma abelha sem ferrão que se alimenta de lágrimas no Sri Lanka no ano passado, novos casos de insetos que bebem lágrimas estão aparecendo.


Gorgone-macarea
Figura 3. Esta mariposa (Gorgone macarea) pode beber as lágrimas dos pássaros, como este solta-asa-do-norte, para obter uma dose extra de proteína. Foto de Leandro Moraes.

O comportamento, no entanto, raramente foi relatado na selva amazônica, a maior floresta tropical do mundo que abriga uma incrível diversidade de animais, incluindo cerca de 1.300 espécies de aves e cerca de 2,5 milhões de tipos de insetos.



Há alguns anos, uma mariposa foi vista alimentando-se das lágrimas de um martim-pescador dormindo na Amazônia colombiana, o primeiro caso envolvendo pássaros na região. Abelhas solitárias também foram documentadas bebendo as lágrimas das tartarugas do rio na Amazônia equatoriana pela primeira vez em 2012.



Mas a maioria das observações do comportamento ocorreu em partes tropicais da África, Ásia e Madagascar. “A nova descoberta ajuda a expandir uma interessante região biogeográfica onde a alimentação lacrimal deve ser diversificada e ainda pouco conhecida”, comenta Engel.

Enquanto Moraes continua seu trabalho de campo na Amazônia, ele seguirá observando cuidadosamente seu entorno. Este relatório é “apenas um único caso envolvendo duas espécies amazônicas, o que me leva a imaginar que existem outras milhares de relações ecológicas desconhecidas”, diz ele.



Referência
National Geographic Brasil.


Para finalizar veja um vídeo do canal ZooCiencia, sobre MARIPOSAS QUE BEBEN LAGRIMAS DE TORTUGA ...:


2 comentários:

  1. Respostas
    1. Incrível não é mesmo Uilmara. Também me surpreendo cada vez mais com essas descobertas.

      Um forte abraço.

      Excluir

Imagens de tema por sndrk. Tecnologia do Blogger.