Animais podem contrair ou transmitir o coronavírus (COVID-19)?

Infelizmente o novo coronavírus chegou ao Brasil. Ai a pergunta que vem a cabeça, será os animais de estimação podem contrariar ou transmitir esse novo vírus?

 https://www.bioorbis.org/2020/03/animais-contrair-transmitir-coronavirus-covid-19.html
Pixabay/Domínio Público.

VAMOS DESCOBRIR...

https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ?sub_confirmation=1

Como já sabemos esse Covid-19 é um vírus da família Coronavírus, e com isso, cães e gatos podem contrair um coronavírus próprio de suas espécies. E esse deles não nada tem nada a ver com a Covid-19 e não é transmitido para o ser humano. Por ora não há evidência de que pets estejam adoecendo por esse novo coronavírus e nem que sejam capazes de propagar a doença.

Embora possamos ficar mais tranquilos em relação a isso, é preciso lembrar que, por se tratar de uma nova doença, devemos acompanhar o que as pesquisas sérias estão desvendando. As informações oficiais e atualizadas sobre esses estudos se encontram em boletins como o da World Small Animal Veterinary Association (WSAVA) — entidade na qual os clínicos veterinários de todo o mundo se baseiam hoje.

Leia também:


Em caso se você já contraiu o novo Coronavírus, ele pode passar para o animal?


Uma outra pergunta é essa, se você já pegou o Covid-19, pode passar para seu animal de estimação? Bom, a orientação atual é clara: pessoas infectadas pelo coronavírus devem ficar isoladas e adotar medidas para não transmitir a doença a seus familiares e colegas. E isso inclui seus amados pet’s.

A informação de que os pets não contraem a Covid-19 é correta. Porém, por se tratar de um vírus novo que ainda está em estudo, organizações como a WSAVA orientam a utilização de luvas e máscaras e a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel antes e depois de ter contato com os animais. Isso serve tanto para a proteção do bicho como para resguardar outras pessoas que convivem com ele.

Na China, um cão de uma tutora com a doença foi testado como fracamente positivo para a Covid-19, o que pode indicar contaminação ambiental. O animal permanece em observação, não apresenta sintomas e os órgãos internacionais de Medicina Veterinária estão acompanhando o comportamento do vírus.

Diante disso tudo, vale repetir: tutores que pegaram o Covid-19 devem evitar o contato direto com seus pets e, ao fazê-lo, é prudente utilizar luvas e máscaras e lavar as mãos antes e depois para proteger o bicho. Essa é uma orientação que vem sendo seguida por hospitais veterinários por todo o mundo, incluindo instituições de referência.

Com o objetivo de monitorar o novo coronavírus, um importante laboratório americano, a Idexx, publicou que desenvolveu um teste de Covid-19 para pets, já realizado em milhares de animais. A boa notícia: todos deram negativo! Isso reforça a ideia de que pets não contraem ou transmitem o vírus.

Então mesmo ainda sendo duvidoso se eles transmitem ou contraem esse novo vírus, a ordem é clara, sempre faça a higienização das mãos e as medidas profiláticas necessárias para a prevenção contra o Covid-19 amenizando assim essa pandemia e saímos dela o mais rápido possível.

Leia também:



Quais são os tipos de coronavírus que afetam animais?


No caso dos cães, existem três variedades de coronavírus: o tipo 1, o tipo 2 e o coronavírus respiratório.

- Os tipos 1 e 2 normalmente causam doença muito leve e podem provocar diarreia. O coronavírus respiratório também é leve, mas provoca infecção respiratória. O cão pode espirrar, tossir e ter dificuldade para respirar. Eventualmente há febre, mas não é usual. São infecções muito comuns em cães, mas não só em cães, em todas as espécies. Mortes por coronavírus em animais são exceções — diz Paulo Michel Roehe, professor de virologia do departamento de microbiologia, imunologia e parasitologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Pixabay/Domínio Público.

Nos gatos, as infecções por coronavírus também costumam ser leves, mas um dos vírus que sofreu mutação pode levar a uma doença grave chamada peritonite infecciosa, em que a barriga do animal fica inchada. Aves comerciais, que devem ser vacinadas, podem desenvolver bronquite infecciosa. Já em bovinos, é muito frequente que ocorra diarreia em terneiros jovens, de acordo com Celso Pianta, professor de microbiologia e saúde pública da Faculdade de Veterinária da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

- Existem quatro grupos de coronavírus: alfa, que afeta mamíferos como gatos e cães, beta, dos humanos, gama e delta, encontrado em aves e peixes. São quatro famílias com diferenças grandes. Os outros vírus não se relacionam com os nossos. Não é uma grande preocupação, porque não se transmite para seres humanos. Mas sempre ficamos atentos. A Organização Mundial de Saúde, o Centro de Controle de Doenças Transmissíveis e Organização Mundial de Saúde Animal estão vigilantes, e qualquer caso suspeito de transmissão entre animal e humano precisa ser notificado — afirma Pianta.

Referências
FONSECA, Márcio Cunha; PIRES, Rogério Cury. Procedimentos de primeiros socorros para cães. Editora Atheneu. São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, 2009.
Sites: saude.abril.com.br

Nenhum comentário:

Imagens de tema por A330Pilot. Tecnologia do Blogger.