Vocês conhecem a árvore Barriguda?

Há várias espécies conhecidas como paineira no Brasil, quase todas pertencendo ao gênero Ceiba, da família Malvaceae. Mas sua característica peculiar é sua "barriga".

https://www.bioorbis.org/2016/04/voces-conhecem-barriguda.html
A famosa barriguda ou paineira (Ceiba glaziovii) Fonte da imagem: Márcio Fernando para o site flick.

VAMOS DESCOBRIR...

✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅
 
https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ


INFORMAÇÕES TAXONÔMICAS SOBRE A ÁRVORE BARRIGUDA


Família: Malvaceae

Nomes populares: barriguda, paineira-branca. 

Nome científico: Ceiba glaziovii

Figura 2. A barriguda (Ceiba glaziovii). Foto: Timblindim.


INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS SOBRE A ÁRVORE BARRIGUDA


Espécie decídua, heliófita, secundária, endêmica. Apresenta quiropterofilia como síndrome de polinização. Dispersão das sementes pelo vento (anemocoria). 

A Barriguda (Ceiba glaziovii, Figura 2) é uma árvore que pode chegar a 18 metros de altura. Sua copa é ampla e bastante ramificada.

Sua característica mais notável é uma parte bem saliente (pode atingir 1,5 m em diâmetro), à meia altura de seu tronco, que lembra uma barriga.


Figura 3Os espinhos são uma forma de proteção. Pixabay/Domínio Público.

Essa saliência é um reservatório de água, uma das estratégias adotadas pela planta para assegurar-lhe água na estação seca. Folhas com 4-7 folíolos e flores grandes (7 cm) brancas com pétalas peludas e estrias longitudinais avermelhadas.


Perde as folhas na estação seca e floresce (Figura 4) entre julho e outubro, e os frutos geralmente amadurecem ainda na estação seca (entre setembro e novembro).

Figura 4. A árvore barriguda florida. Foto: Jakson castro; visoesdacaatinga.

Possui fruto em forma de pera com cerca de 10 cm e sementes imersas em uma paina (“algodão”) (Figura 5), chamada lã de barriguda, dispersas pelo vento. A madeira é branca e mole, talvez por isto a árvore seja pouco cortada.

Figura 5. O apetitoso fruto não escapa das famintas maritacas. Fonte da imagem: olhares.sapo.pt.

Referências
AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia dos Organismos, classificação, estruturas e função nos seres vivos. 1ª edição. Editora Moderna, 1998. Sites: Saiba Mais. E mais.

8 comentários:

  1. Belas fotos parabéns pelo registro, com ótimas informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Incrível árvore não é mesmo Agnaldo? Mas as fotos não fomos nós da Equipe BioOrbis que tiramos, os créditos vão para os sites referenciados nas respectivas fontes. Mas mesmo assim agradecemos pelo comentário e por ter gostado da postagem,

      Um grande abraço,

      Equipe BioOrbis.

      Excluir
    2. queria sementes de paineira branca! pra plantar numa fazendo no semi-áridos, mas é muito difícil de conseguir!

      Excluir
    3. n.catunda, uma sugestão que damos é a seguinte, procure pela paineira branca, onde ela tiver, na época da floração, tente pegar da própria árvore as sementes (pegue muitas), assim você deixa elas secarem. Depois coloque em um balde de água, as que flutuarem não vão prestar, já as que afundarem pode plantar.

      Funciona pra muitos tipo de semeaduras de árvores, é uma tentativa viável, se não conseguir tente por mudas.

      Um grande abraço da Equipe BioOrbis.

      Excluir
  2. A madeira pode ser utilizada,tem alguma resistência? Alguém sabe me dizer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Garcia,

      Bom por ser uma espécie nativa, acho que é difícil você conseguir ter a madeira dela, pois irá envolver um grande processo de legislação. Isso se está espécie em particular for proibida de corte.

      Agradecemos pelo seu comentário, um grande abraço.

      Equipe BioOrbis.

      Excluir
  3. Olá, sabem informar se a paineira pode ser plantada em vaso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lekka,

      Bom, como são árvore de grande porte, se plantada em um vaso, uma hora ela irá estourar o vaso com suas fortes raízes. Você pode sim plantar, mas quando atingir um tamanho ideal, plante ela no chão.

      Agradecemos pelo comentário.

      Att. Equipe BioOrbis.

      Excluir

Imagens de tema por jpique. Tecnologia do Blogger.