Qual a diferença entre sapos, rãs e pererecas?

Os anuros são animais com uma especialização do corpo para o salto. Mas você saberia diferenciar um sapo de uma rã, ou uma rã de uma perereca, ou um sapo de uma perereca?

 https://www.bioorbis.org/2018/11/qual-diferenca-sapos-ras-pererecas.html
Um anfíbio, você sabeia se ele é um sapo, uma rã ou uma perereca? Pixabay/Domínio Público.

VAMOS DESCOBRIR...

✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅

https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ?sub_confirmation=1

Os Anura (Grego an = sem, uro = cauda) incluem 27 famílias com mais de 4.300 espécies e ocorrem em todos os continentes, exceto na Antártida.

Leia também:



Morfologia e anatomia dos anfíbios


A especialização do corpo para o salto é a característica esquelética (Figura 2) mais evidente dos Anura.

Os membros traseiros e os músculos formam um sistema de alavancagem capaz de arremessar o animal no ar e várias especializações morfológicas estão associadas a esse tipo de locomoção: as patas traseiras são alongadas e a tíbia e a fíbula estão fundidas.


Figura 2. Esqueleto de um anfíbio. Fonte da imagem: portaldoprofessor.

Uma pélvis poderosa fortemente ligada à coluna vertebral é evidentemente necessária, assim como u m enrijecimento da coluna vertebral. O ílio é alongado e se estende bastante para a frente, as vértebras mais caudais estão fundidas em um bastão sólido, o uróstilo.

A pélvis e o uróstilo enrijecem a metade caudal do tronco. A coluna vertebral é curta, com apenas cinco a nove vértebras pré-sacrais que são reforçadas por zigapófises que restringem a flexão lateral. 


Figura 3. Reprodução dos anfíbios. Fonte da imagem: estudopratico.

Os membros dianteiros fortes e a cintura peitoral flexível absorvem o impacto da aterrissagem. Os olhos são grandes e estão localizados bem rostralmente na cabeça, permitindo a visão binocular.

Leia também:



Especializações dos anfíbios para alimentação


Todos os anfíbios adultos atuais são carnívoros e, dentro de cada grupo, relativamente poucas especializações morfológicas estão associadas a hábitos alimentares diferentes.

Os anfíbios comem quase tudo que são capazes de capturar e engolir (Figura 4). Nas formas aquáticas, a língua é larga, achatada e relativamente imóvel, mas alguns anfíbios terrestres podem protrai-la para capturar a presa.


Figura 4. A língua dos anfíbios. Fonte da imagem: profaerica-ciencias.

O tamanho da cabeça é importante na determinação do tamanho máximo da presa que pode ser capturada, e espécies simpáticas de salamandras frequentemente apresentam tamanhos de cabeça marcadamente diferentes, sugerindo que se trata de uma característica que reduz a competição por comida.

Os Anura dos gêneros americanos tropicais Lepidobatrachus e Ceratophrys, que se alimentam principalmente de outros anuros, têm a cabeça tão grande que são praticamente bocas ambulantes.

Leia também:



DIFERENÇAS ENTRE SAPOS, RÃS E PERERECAS


Os sapos


Os animais denominados anuros usualmente possuem pernas longas e movem-se por saltos, e esta forma do corpo é encontrada em muitas linhagens. As formas semi-aquáticas são moderadamente hidrodinâmicas e possuem pés dotados de membranas interdigitais.


Figura 5. O sapo-de-pé-de-enxada (Scaphiopus, Pelobatidae). Fonte da imagem: wildherps.

Os anuros terrestres de grande porte, que dão saltos curtos em vez de longos, são frequentemente denominados sapos. Geralmente possuem cabeça áspera, corpo pesado, pernas relativamente curtas e membranas interdigitais pouco desenvolvidas.

Essa forma de corpo está representada pelos membros da família Bufonidae e um corpo muito similar é encontrado em outras famílias, incluindo o sapo-de-pés-de-enxada (Pelobatidae, Figura 5), do oeste da América do Norte.

Leia também:



As rãs


Existem espécies de rãs em várias famílias, mas podemos destacar a família Ranidae e Leptodactylidae

Esses animais são de tamanho médio a grande porte, sendo capazes de darem saltos longos que podem atingir mais de 1 metro de comprimento. Diferentemente dos bubonídeos (sapos), gostam de viver próximos a lagos e lagoas.


Figura 6. Uma espécie de rã. Fonte da imagem: Amphibians of Siri Lanka

A pele delas é mais fina e úmida que a dos sapos e suas patas traseiras são longas. As rãs frequentemente são usadas na culinária em alguns países. Um exemplar de rã que podemos citar é a rã-de-chifre da América do Sul (Lepitodactylidae).

Leia também:



As pererecas


Os Anura arborícolas usualmente têm cabeça e olhos grandes, muitas vezes, cintura fina e pernas longas (Figura 7). As espécies arborícolas de muitas famílias diferentes caminham e escalam de modo quadrúpede, além de saltarem.


Figura 7. A perereca da América Central (Agalychnis, Hylidae). Pixabay/Domínio Público.

Muitas espécies arborícolas das famílias Hylidae e Rhacophoridae têm discos digitais aumentados e são denominadas pererecas.

Leia também:

Referências
AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia dos Organismos, classificação, estruturas e função nos seres vivos. 1ª edição. Editora Moderna, 1998.
LOPES, Sônia; ROSSO, Sérgio. Biologia. Volume único. Editora Saraiva, 2006.
POUGH, F. Harvery; JANIS, Christine M; HEISER, John B. A vida dos vertebrados. Atheneu Editora São Paulo, 2006.

Nenhum comentário:

Imagens de tema por clintspencer. Tecnologia do Blogger.