Vocês já ouviram falar no permafrost?

O permafrost é o tipo de solo encontrado na região do Ártico. É constituído por terra, gelo e rochas permanentemente congelados.

 https://www.bioorbis.org/2014/12/voces-ja-ouviram-falar-no-permafrost.html
O Permafrost. Image by Florence D. from Pixabay

VAMOS DESCOBRIR...


O PERMAFROST: O LUGAR ETERNAMENTE CONGELADO


O significado da palavra permafrost vem do idioma inglês e quer dizer permanentemente congelado (perm – permanente + frost – congelado). Esta palavra se aplica a solo congelado e foi cunhada, em 1943, por S. W. Muller.

permafrost
Figura 2. Localidade onde se encontra o permafrost. Fonte da imagem: pt.wikipedia.org.

DO QUE O PERMAFROST É FORMADO?


É constituído por terra, gelo e rochas permanentemente congelados (assim que surgiu o nome: perma = permanente, frost = congelado, ou seja: solo permanentemente congelado). Esta camada é recoberta por uma camada de gelo e neve que, se no inverno chega a atingir 300 metros de profundidade em alguns locais, ao se derreter no verão, reduz-se para de 0,5 a 2 metros, tornando a superfície do solo pantanosa, uma vez que as águas não são absorvidas pelo solo congelado.

O permafrost pode ter diferentes características e formatos. Pode ser um solo orgânico rico ou pode ser arenoso e rochoso. Poderia ser também somente rocha sólida. Poderia conter água congelada ou ser relativamente congelado. Mas todos os permafrost possuem uma característica em comum: estão congelados.

O permafrost é o solo que está congelado há um ano ou mais e é encontrado em latitudes elevadas (Ártico e Antártida), também é comum em alturas elevadas (como no alto das montanhas). Aproximadamente 20% da superfície terrestre se encaixam nesta classificação de solo.

Figura 3. Cunha de gelo. Fonte da imagem: pt.wikipedia.org.

Recomenda-se cuidado ao erigir edificações ou pavimentação neste tipo de solo, uma vez que, se a camada de permafrost for rompida, a edificação ou a pista pavimentada pode afundar no terreno.



PERMAFROST: GRANDE RESERVA DE METANO


Uma grande reserva de metano, gás estufa 30 vezes mais potente que o dióxido de carbono está se abrindo. Foi feita uma descoberta através da perfuração da camada de gelo que era tido como impermeável. Pesquisadores da Universidade do Alasca descobriram que se a liberação do gás metano (CH4) para a atmosfera não for interrompida, poderá haver uma mudança ainda mais drástica do que as já estudadas.

SOLO CONGELADO


O permafrost é considerado parte da criosfera pelo fato de estar congelado, mas também é considerado parte da geosfera por conter rochas e solos.

A superfície superior, chamada camada ativa, congela e degela de acordo com a temporada. Esta camada pode ter de 50 cm a 4 metros de espessura. As plantas podem sobreviver se houver uma camada ativa onde suas raízes possam penetrar e encontrar água.

Em algumas partes do mundo o este tipo de solo penetra profundamente a terra. Sob o solo de Barrow (Alaska – USA), este tipo de solo atinge profundidade de centenas de metros. Em áreas da Sibéria, o permafrost atinge quase 1 km de profundidade. Muito tempo foi necessário para que o solo congelasse a tais profundidades.




O permafrost de áreas menos profundas pode formar-se relativamente rápido, os primeiros 100 metros só podem congelar depois de séculos. Para congelar o solo em até 80 metros profundidade, podem ser necessários 350 anos, porém demora mais de dez vezes este tempo para o permafrost atingir 220 metros, por exemplo. Os cientistas estimam que demorou mais de meio milhão de anos para que se formasse permafrost nas profundidades encontradas no Alaska. A comunidade científica conclui que a taxa de descongelamento tem aumentado, face o aumento da temperatura global, afetando, desta forma, a terra, a água e os seres vivos.



O SOLO POLIGONAL


Solo poligonal (Figura 4) é um termo utilizado para descrever as formas distintas e muitas vezes simétricas que se formam no material superficial do solo em regiões periglaciaisRegiões como o platô de Storflaket próximo a Abisko, no norte da Suécia, exibe falhas em suas bordas devido ao degelo do permafrost. Anéis de pedra em Spitsbergen. E até em Marte imagens da Phoenix durante sua aterrissagem no Vale Verde, no Polo Norte de Marte, o solo apresenta um padrão poligonal até onde a vista alcança. Entre outros.


Figura 4. Polígonos no permafrost. Fonte da imagem: pt.wikipedia.org.

Tendo uma grande reserva de metano, o permafrost, com o descongelamento das calotas polares, pode também descongelar, e se isso ocorrer esse metano sera liberado na atmosfera e assim causando um maior aquecimento global e consequentemente o fim da camada de ozônio e a vida na Terra. E para saber sobre a camada de ozônio veja nesta nossa outra postagem neste link abaixo:
https://www.bioorbis.org/2014/09/camada-de-ozonio-em-recuperacao.html

Referências
TEIXEIRA, Wilson; TOLEDO, M. Cristina Motta; FAIRCHILD, Thomas Rich; TAIOLI, Fabio. Decifrando a Terra. Oficina de textos. USP – Universidade de São Paulo, 2003.
Sites: InfoEscola. Wikipédia.

Para finalizar veja um vídeo do canal afpbr sobre Permafrost: uma bomba-relógio climática:


Nenhum comentário:

Imagens de tema por TommyIX. Tecnologia do Blogger.