Guia de identificação de campo para borboletas (Lepidópteros)

As borboletas são maravilhosas disso ninguém dúvida. Encantam nossos olhos com suas várias formas e cores. Mas muitas pessoas tem dúvidas de qual espécie é e nomes comuns. Então vem com a gente que vamos mostrar algumas espécies que encontramos por ai.

https://www.bioorbis.org/2020/04/guia-de-campo-borboletas-lepidopteros.html
Borboleta-de-marcas-metálicas (Nymphidium lisimon). Foto: Cleverson Felix.

VAMOS DESCOBRIR...

https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ?sub_confirmation=1



Quem são as borboletas?


Existem aproximadamente umas 150.000 espécies de borboletas descritas até o momento, das quais 7.000 vivem somente na Europa. Sua distribuição é ampla, ocupando quase todos os lugares que apresentem plantas. Apresentam desenvolvimento e metamorfose completas, caracterizadas pelas suas grandes asas cobertas de escamas, cores vivas, e por uma grande tromba dobrável em espiral.

Fazem parte da ordem Lepidoptera, que significa "asas escamosas". O nome deriva das escamas que caem das asas em forma de pó quando tocadas. Suas larvas ápteras (carecem de asas) e fitófagas (alimentam-se de vegetais) e suas potentes bocas trituradoras fazem com que esta ordem seja, a princípio facilmente identificável. E claro algumas nem cores vivas tem e causam medo em muita gente, mas muitas tem pelos e são bastante perigosas e com cores vivas e belas.

Leia sobre:

O que é a metamorfose?


Entendemos por metamorfose as mudanças ou as diferentes transformações que ocorrem em algumas espécies durante as etapas pós-embrionária. Alguns Artrópodes apresentam formas muito parecidas à dos adultos ao deixar o ovo (sendo uma réplica do mesmo), sofrendo pequenas mudanças (Morfoses) até a fase adulta (Metamorfose Simples).

Já em outros Artrópodes acontecem mudanças e transformações bem maiores, tornando o aspecto do jovem para o adulto totalmente diferente. Quando isso acontece, nos referimos a Artrópodes com Metamorfoses Complexas ou Completas.

Leia também:



GUIA DE CAMPO DE IDENTIFICAÇÃO DE BORBOLETAS


As borboletas que vamos apresentar aqui foram fotos tiradas por nós aqui do BioOrbis, ou seja, aqui vão apresentar as espécies mais comuns do Estado de Minas Gerais, mas muitas delas podem ser encontradas em todo território brasileiro. E claro que quando conseguirmos mais fotos de borboletas vamos atualizando a postagem. Agora sem mais delongas, vamos as espécies de borboletas:

Borboleta Aeria olena olena


Foto: Cleverson Felix.

Família: Ninfalídeos/Danainae
Plantas Hospedeiras: Solanáceas
Características: possui face dorsal amarela com bordas pardas e asas anteriores medindo 1,9 cm. Apresenta voo frágil, muito lento e pouca altura. Pousa com as asas fechadas em lugares sombrios.

Borboleta-amarela-do-caribe (Phoebis argante)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Pierídeos/Coliadinae
Plantas Hospedeiras: Cassia da família da ervilha (Fabaceae) mas especialmente Inga uruguaiensis.
Características: Muito comum em matas plantios. Tem voo rápido e gosta de ovopositar em brotos jovens. Ovos cilíndricos e pontudos depositados no Ingá. Possui uma glândula chamada de nectário floral que alimenta algumas espécies de formiga que por sua vez defendem as plantas de invasores.



Borboleta-asa-de-joia (Symbiopsis strenua)


Foto: Cleverson Felix.
Família: Lycaenidae
Características: possuem uma coloração branca metálica, com duas pintas bem visíveis na ponta das asas.

Borboleta-azul-fosco (Catonephele numilia)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Ninfalídeos/Biblidinae
Plantas Hospedeiras: Alchornea cordata
Características: É atraída por secreções vegetais e sucos de frutas fermentadas. Os machos gostam de pousar nas folhas e abrir as asas, expondo-as ao sol. Apresenta dimorfismo e dicromatismo sexual. Macho tem 6 manchas alaranjadas. No verão ocorrem em grande número. Postura de ovos em plantas de locais descampados. Sua lagarta lembra muita as urticantes. Alimentam-se das pontas das folhas e descansam na nervuras. Pupa tem cor verde escura.



Borboleta-de-marcas-metálicas (Nymphidium lisimon)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Riodinidae
Características: Alguns Nymphidium são obviamente transformados secundariamente por mimetismo , caso contrário, as cores quase exclusivas são marrom e branco, sendo que de vez em quando são preponderantes. As asas têm uma forma normal, sem recuos, apêndices na cauda, ​​lóbulos ou enrolamentos. A larva tem a forma de um piolho, curvado, verde, às vezes com uma faixa lateral amarela, o órgão do pescoço fora de uma fileira transversal de espigas ou cerdas verdes.  A pupa é verde, presa por um fio semelhante a um cinto. As borboletas descansam na superfície inferior das folhas e são perseguidas batendo nos arbustos, e voam como Geometridae por alguns passos, para se esconder novamente. O tempo de enxame parece estar amanhecendo, ou de manhã cedo, mas pode ser encontrada ainda sob o sol da manhã em flores. Eles são facilmente capturados e voam baixo.

Borboleta Eueides isabella


Foto: Cleverson Felix.

Família: Ninfalídeos/Heliconinae
Plantas Hospedeiras: Diferentes espécies de maracujá, principalmente Passiflora edulis.
Características: Comum em plantios, tem cores vistosas tanto adulto quanto a lagarta. É comum serem predadas ainda em estado larval.



Borboleta Morpho menelaus


Foto: Cleverson Felix.

Família: Ninfalídeos/Morphinae
Plantas Hospedeiras: Arco-de-pipa e aldrago.
Características: Conhecida no Rio de Janeiro como “praia-grande”. Costuma se alimentar do suco de frutos maduros caídos no chão.

Pororó-azul (Hamadryas arete)


Foto: Cleverson Felix.

Família:  Ninfalídeos/Biblidinae
Plantas Hospedeiras: Dalechampia spp (Euphorbiaceae)
Características: espécie heliófila, incomum, presente em zonas sombreadas de matas ombrófilas, podendo ser avistadas cruzando áreas ensolaradas. É encontrada em matas primárias e secundárias. Seu voo é normalmente rápido e irregular. Ao sobrevoar a planta que vai se alimentar começa a voar em círculos de forma mais lenta. Alimenta-se de frutas maduras caídas no chão das florestas. Apesar de pertencer ao grupo das borboletas-estaladeiras os indivíduos dessa espécie não produzem o som ao se deslocar. As lagartas têm o corpo negro com listras verdes e laranjas que se alternam. O corpo é coberto de espinhos negros e a cabeça apresenta cornos ramificados. Apresentam hábitos diurnos.



Borboleta Rhetus periander


Foto: Cleverson Felix.

Família: Riodinídeos/Riodininae
Características: Rhetus periander é geralmente encontrada isoladamente ou em pequenos grupos na beira de rios, trilhas através da floresta tropical primária ou perturbada. Ocorre em altitudes entre 0-1800m e ocorre ao longo de todo ano. Os machos podem ser vistos empoleirando-se sob as folhas a uma altura de cerca de 3-8m de altura do solo. Após o acasalamento, muitas vezes eles descem ao nível do solo para absorver a lama molhada. Os machos são atraídos principalmente por sais minerais, mas também podem visitar carniça. Ambos os sexos são atraídos por flores de Eupatorium, e também néctar de Inga, Croton e Cordia.

Borboleta-cauda-de-andorinha (Heraclides astyalus)


Uma fêmea é mostrado nesta foto. Foto: Cleverson Felix.

Família:  Papilionídeos/Papilioninae
Plantas Hospedeiras: Citrus spp. E Esenbeckia febrifuga
Características: Papilionideos tem mais de 600 espécies dividas em três sub-famílias; Parnassiinae com cerca de 50 espécies e vivem geralmente em áreas montanhosas do hemisfério norte; Papilioninae com cerca de 550 espécies distribuídas em todo o mundo e são chamadas de Swallowtails e Dragontails; e Baroniinae com um único representante da espécies Baronia que é endêmica para as montanhas do oeste do México. Heraclides dispõe de 28 espécies, e é um grupo irmão do gênero Papilio. Elas tem manchas de creme e são muito semelhantes a P. androgeus, mas neste último as manchas são reduzidas. Heraclides astyalus é muito difundido, com seis subespécies encontrados em diversas áreas entre o Texas, Argentina, Brasil, até no Paraguai. Vivem em muitos habitats diferentes, incluindo florestas tropicais, florestas estacionais deciduais, pomares, bordas de mata, zonas suburbanas em altitudes entre o nível do mar e cerca de 1200m. Só extremamente heliófilas. Ambos os sexos visitar as Lantanas. Os machos são mais comumente vistos lama, empoçamentos de praias, bordas de riachos e piscinas. Eles são geralmente vistos isoladamente, ou em meio a agregações com Pierideos. Ao se alimentar em flores ou no chão suas ficam constantemente vibrando, uma característica comum deste grupo de borboletas. Depois de vários minutos, eles relaxam totalmente as asas deixando-as desdobradas. Tem um forte dimorfismo e dicromatismo sexual, sendo o macho menor amarelo e com listras pretas. As fêmeas são totalmente escuras com pequenos detalhes amarelos.



Borboletinha-amarela (Hylephila phyleus)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Hesperídeos/Hesperinae
Plantas Hospedeiras: Polifaga de grama Bermuda (Cynodon dactylon), capim-colchão (Digitaria), grama Santo Agostinho (Stenotaphrum secundatum) e outras gramíneas 
Características: Ocorre da Argentina até o Sul do EUA. Adulto se alimenta do néctar de diversas flores pimenteira-doce, serralha pântano, e cardos. Antenas são muito curtas. Face inferior da asa posterior é repleta de pequenas manchas pretas. A fêmea é marrom escuro com uma banda muito irregular de laranja. A face inferior da asa posterior é castanho claro com detalhes pálidos. Os machos pousam em gramados e aguardam fêmeas receptivas. Os ovos são colocados isoladamente em folhas e as vezes em objetos. Lagartas fazem abrigos horizontais no gramado.

Borboleta-amarela-mimosa (Pyrisitia nise)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Pierideos/Coliadinae
Plantas Hospedeiras: Mimosa watsonii, mas também do gênero Senna, dormideira Mimosa pudica (Fabaceae)
Características: espécie comum, heliófilos, podendo ser vista nas bordas entre cidades e as áreas de matas (semiurbana) como também nas florestas secundárias. Muito mais observada nas áreas onde o homem alterou a mata. População extremamente abundante. A fêmea pode ser vista em diversos locais próximos ao chão. É muito fácil se ver a desova. Já os machos também vão ao chão procurando por locais úmidos como possas de águas e praias de riachos, onde bebem água com sais.  A espécie possui um voo lento, mas irregular. As lagartas são verdes claras com duas linhas juntas e longitudinais: uma na cor creme e outra em verde escuro. Ainda têm o corpo com coberto de pequenos e finos pelos. Seus hábitos são diurnos e isolados.

Borboleta-marrom-de-rabo-longo (Urbanus procne)


Foto: Cleverson Felix

Família: Hesperídeos/Pyrginae
Plantas Hospedeiras: Phaseolus, Amphicarpa bracteata, Desmodium, Clitoria e Wisteria
Características: Urbanus procne, é uma borboleta da família Hesperiidae. Pode ser encontrada da Argentina, norte da América Central e México até o sul do Texas. Vadios raros podem ser encontrados até o sul do Novo México, sul do Arizona e sul da Califórnia. A envergadura é de 37 a 48 mm.

Borboleta-marrom-azulada (Ebrietas infanda)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Hesperiidae
Plantas hospedeiras: poucos dados, até onde sabemos poliniza plantas da família Asteraceae.
Características: são encontrados na ecozona Neotropical. Elas são nomeados por seus hábitos de voo rápidos e rápidos. A maioria tem a ponta da antena modificada em uma projeção estreita em forma de gancho. Mais de 3500 espécies são reconhecidas e ocorrem em todo o mundo, mas com a maior diversidade nas regiões neotropicais da América Central e do Sul.

Borboleta-marrom-de-machas-brancas (Janatella hera)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Nymphalidae
Plantas hospedeiras: poucos dados, até onde sabemos poliniza plantas da família Asteraceae.
Características: essas borboletas tem o corpo marrom com manchas brancas. As asas traseiras, da mesma cor marrom, são decoradas com uma linha de divisas pretas invisíveis e uma linha de grandes manchas brancas formando uma faixa branca. Por baixo das asas dianteiras é marrom ocre, adornado com faixas de manchas brancas, enquanto as asas posteriores são bege branco com uma faixa submarginal marrom ocre carregando uma linha de grandes divisas pretas.

Borboleta-pó-de-safira (Memphis morvus) (fêmea)


Foto: Cleverson Felix

Família: Nymphalidae
Plantas hospedeiras: não há dados.
Características: os machos apresentam a coloração azulada em toda asa. Já as fêmeas possuem esse brilho fraco azul ao meio. Também possuem duas projeções nas pontas das asas posteriores e pequenas manchas brancas nas asas dianteiras.

Borboleta-asa-de-vidro (Ithomia agnosia)


Foto: Cleverson Felix.

Família: Ninfalídeos/Danainae
Plantas hospedeiras: Solanaceae
Características: Pouco se sabe a respeito desta espécie. Muito semelhante as borboletas de vidro das subfamílias danainae e ithomiinae.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Boa noite eternosanos80,

      Que bom que gostou da nossa postagem. E quando tivermos mais fotos de outras espécies vamos colocando aqui. Um forte abraço.

      Excluir

Imagens de tema por Veronica Olson. Tecnologia do Blogger.