Oceano selvagem: descubra 5 tubarões extraordinários que você não conhecia

De pequenos herbívoros a grandes habitantes do Ártico, esses animais são muito mais incríveis e extraordinários do que assustadores.

 https://www.bioorbis.org/2019/05/tubaroes-descubra-tubarao-peixe-fauna-marinha.html

VAMOS DESCOBRIR...


Tubarão ou cação é o nome dado aos peixes que possuem um esqueleto cartilaginoso e um corpo hidrodinâmico, que no qual pertencem à superordem Selachimorpha. Os primeiros tubarões conhecidos viveram há aproximadamente 400 milhões de anos.



São também chamados de condrictes ou Chondrichthyes (condri = cartilagem; ictio = peixe). Nos condrictes, o crânio, as vértebras e o restante do esqueleto são bem desenvolvidos. Dentro deste grande grupo estão os Elasmobranchii (elasmobrânquios) que incluem os tubarões e as arraias. É o maior grupo dentre os condrictes, formado por cerca de 760 espécies.

Agora vamos a nossa lista dos 5 tubarões que talvez você ainda conhecia:

TUBARÃO-BOCA-GRANDE


Megachasma-pelagios
O gigante tubarão-boca-grande (Megachasma pelagios). Pixabay/Domínio Público.

Pouco se sabe sobre esse enorme filtrador, porque cientistas tiveram poucas oportunidades de estudá-los. Menos de cem tubarões-boca-grande foram observados desde que a espécie foi descoberta em 1976. Acredita-se que essas criaturas indescritíveis habitem as maiores profundezas de todos os oceanos e se alimentem exclusivamente de plâncton.



O maior tubarão-boca-grande que já foi observado era um macho de 5,4 metros. No entanto, acredita-se que tubarões-boca-grandes fêmeas sejam maiores do que os machos. Tubarões-boca-grande machos não atingem a maturidade sexual até que tenham 4 metros, enquanto fêmeas só atingem a maturidade sexual quando tem 4,8 metros, de acordo com o Museu de História Natural da Flórida.



TUBARÃO-DE-PALA


Sphyrna-tiburo
O tubarão-de-pala (Sphyrna tiburo). Foto: Brian J. Skerry – National Geographic Creativa

O tubarão-de-pala tem algo que nenhum outro tubarão tem – o gosto por saladas. Cientistas recentemente descobriram que algas marinhas constituem até 50% da dieta do tubarão-de-pala.




O tubarão-de-pala é o menor da família dos tubarões-martelo e o único com a cabeça arredondada. Esses peixes vivem em mares rasos e estuários ao longo das costas da América do Norte e América do Sul.



TUBARÃO-ESPINHOSO


Echinorhinus-brucus
O tubarão-espinhoso (Echinorhinus brucus). Foto: Brian J. Skerry – National Geographic Creativa

A aparência do tubarão-espinhoso é tão estranha quanto seu nome. Esse tubarão atarracado de fundo não tem nadadeira anal, mas tem duas nadadeiras dorsais posicionadas perto do fim de sua cauda. O bem nomeado tubarão-espinhoso é coberto de dentículos dérmicos afiados, ou “escamas de tubarão”, que se pronunciam em sua pele coriácea como espinhos em uma rosa.




Tubarões-espinhosos podem ser achados em muitas partes do Oceano Pacífico, inclusive no Japão, Taiwan e na Costa Oeste dos Estados Unidos. Apesar desses tubarões viverem centenas, às vezes milhares de metros submersos, a pesca industrial ainda ameaça sua sobrevivência. Frotas de pesca submarina – usando arrastos de fundo, redes de espera e parangues – frequentemente capturam e matam tubarões-espinhosos por acidente.

TUBARÃO-ZEBRA


Stegostoma-fasciatum
O tubarão-zebra (Stegostoma fasciatum). Foto: Norbert Probst – ImageBroker/Alamy

O tubarão-zebra pode não ser o mais rápido ou o mais esperto, mas pode ser um dos mais bonitos. Tubarões-zebra nascem com listras marrons e brancas que lembram o mamífero que originou seu nome.




Quando atingem a maturidade, as listras são trocadas por manchas marrons. Chegando a atingir 2,4 metros, tubarões-zebra se alimentam primariamente de moluscos, que eles sugam de suas conchas usando suas bocas musculosas.



TUBARÃO-MAKO


Isurus-oxyrinchus
O tubarão-mako (Isurus oxyrinchus). Foto: Brian J. Skerry – National Geographic Creativa.

O tubarão-mako é o tubarão mais rápido dos sete mares. Em pequenos tiros, o mako pode atingir até 56 quilômetros por hora. Tubarões-mako, que habitam mares temperados e tropicais pelo mundo, usam sua velocidade para caçar atuns, peixes-espada, lulas e outros tubarões. Makos usam seus dentes irregulares para arrancar as nadadeiras de suas vítimas, para que não possam fugir.



Tubarões-mako também têm sangue quente – algo raro em tubarões. Isso permite que eles se aventurem em temperaturas e latitudes que são frias demais para outros tubarões. Mas a espécie não escapa da pesca comercial e esportiva, que o tornou cada vez mais raro e foi classificado como vulnerável à extinção pela União Internacional Para a Conservação da Natureza. Todo ano, milhares de makos são pegos em equipamentos de pesca que tinham a intenção de pegar outras espécies.

Referências
LOPES, Sônia; ROSSO, Sérgio. Biologia. Volume único. Editora Saraiva, 2006.
Site: National Geographic.

Para finalizar veja um vídeo do nosso canal BioOrbis, sobre 🦈 Tubarões: pânico exagerado:


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.