Efeito de Borda: o que é, e quais são os efeitos sobre a biodiversidade

Efeito de borda é uma alteração na estrutura, na composição e/ou na abundância e riqueza relativa da biodiversidade das espécies. Esse efeito é mais intenso em pequenos fragmentos isolados de florestas.

 https://www.bioorbis.org/2019/07/efeito-de-borda-biodiversidade-floresta-fragmento.html
Um local desmatado pode causar o efeito de borda. Pixabay/Domínio Público.

VAMOS DESCOBRIR...

✅ Canal no Youtube | Inscreva-se AGORA ✅
 https://www.youtube.com/channel/UCdjF1j_jYXGznBq955YWDoQ?sub_confirmation=1

Para entender o que é o efeito de borda, quais são suas causas e os efeitos dele na biodiversidade em determinado local onde acontece, primeiro mostraremos dois conceitos importantes que estão atrelados a ele, a dinâmica de sucessão e a interação animal-planta.

Leia também:

Dinâmica de sucessão


A sucessão secundária é o processo de mudanças que se verifica nos ecossistemas após a destruição parcial da comunidade vegetal. Pode ser em uma pequena área de floresta nativa, devido à queda de árvores, ou em vários hectares de uma cultura agrícola abandonada. Nesse processo, ocorre uma progressiva mudança na composição florística da floresta, iniciada a partir de espécies pioneiras até espécies climáticas.

Tal dinâmica é importante entender, devido que, o efeito de borda é mais proeminente em fragmentos florestais. Sendo assim, essa dinâmica pode acontecer, caso não seja em uma construção muito grande, no caso de rodovias onde o efeito de borda vai estar presente. Em outros locais a dinâmica de sucessão pode ocorrer e renovar aquele ambiente degradado.

Leia também:





Interação animal-planta


A interação entre plantas e animais em florestas é muito intensa e determinante para a estruturação do ecossistema, pois envolve relações fundamentais, tais como polinização, dispersão de sementes e herbívora/predação. As espécies das florestas tropicais, em sua maioria, são alógamas, ou seja, necessitam trocar pólen para que haja sua polinização.

Se essa interação é quebrada, e um dos motivos é a degradação do habitat que consequentemente vem o efeito de borda, sendo assim podendo levar a redução e até a possível extinção de algumas espécies.




    EFEITO DE BORDA NOS FRAGMENTOS FLORESTAIS


    Fragmentos florestais são as áreas de mata fechada que permanecem intactas em meio a uma plantação, um pasto ou uma área desmatada. As árvores das extremidades desses fragmentos ficam expostas ao clima, parasitas e outros fatores biológicos e químicos. Tal consequência causa o efeito de borda.

    Figura 2. A confecção de um pasto para a criação de gado pode causa o efeito de borda. Pixabay/Domínio Público.

    O que causa o efeito de borda?


    O efeito de borda pode ser causado pela construção de uma estrada, o desmate para a construção e um pasto para gado, a construção de um grande aglomerado de casas próximo a florestas nativas, ou seja, o efeito de borda é causado quando há uma supressão na vegetação, o desmatamento, e sobram pequenas áreas com floresta densa isoladas. Quando a mata é derrubada e uma pequena área permanece isolada, as árvores que ficavam dentro da floresta passam a estar nas bordas do fragmento. Muitas espécies têm dificuldades para se adaptarem ao novo ambiente.

    Leia também:


    Quais são os efeitos causados pelo efeito de borda?


    Os efeitos causados pelo efeito de borda são:

    - Poluição;
    - Temperatura;
    - Luminosidade;
    - Espécies exóticas;
    - Degradação do solo;
    - Redução da biodiversidade.

    O efeito mais devastador e mais evidente é a perda da biodiversidade. Os efeitos de temperatura e luminosidade andam juntos devido à grande incidência de luz solar que vai penetrar no novo local após a derrubada da vegetação nativa, isso é ruim pois muitas espécies não somente de plantas mas também animais não estão adaptadas a viverem em ambientes abertos, mas sim em ambientes bem densos como matas fechadas.

    As espécies exóticas com o tempo vão invadindo o local novo, como também a poluição, se no caso for a construção de uma estrada (Figura 3) esse causa será mais evidente na borda da floresta. Como também a degradação do solo que pode ser causada pelo pisoteio do gado, se o fragmento florestal estiver próximo de um pasto (Figura 2).



    Consequências do efeito de borda


    Conforme as espécies de plantas da borda morrem, o efeito de borda pode continuar ocorrendo nas remanescentes, com a possibilidade de toda a área ser extinta. Essas plantas têm morte lenta e gradual. Porém a dinâmica de um fragmento depende de diversos fatores: tipo de vizinhança, formato da área e grau de isolamento, por exemplo.

    Além de muito mais vulneráveis às intempéries, as florestas fragmentadas acabam sendo invadidas por parasitas: plantas rasteiras, trepadeiras, capim e espécies exóticas adentram a mata e sufocam o crescimento e desenvolvimento das espécies nativas.

    Figura 3. A construção de estradas são um dos principais fatores que causam o efeito de borda nas florestas e fragmentos florestais. Pixabay/Domínio Público.

    Quanto menor um fragmento florestal, mais susceptível ao efeito de borda ele estará. O alcance do efeito de borda pode adentrar o fragmento ou a floresta por até 35 m para dentro. Mas estudos apontam que esse efeito pode ir ainda mais além, podendo chegar a impressionantes 500 m para dentro do fragmento ou da floresta.

    Segundo pesquisadores, a variação de espécies é comum em todos os sistemas biológicos, porém os fragmentos florestais possuem características especiais, que os tornam mais complexos e diferentes das grandes áreas naturais preservadas.

    Os fragmentos florestais nem sempre estão sujeitos ao efeitos de borda e à perda das espécies nativas. Procedimentos de manejo ambiental podem diminuir os impactos do isolamento de uma área de floresta, preservando boa parte de sua biodiversidade.

    Leia também:



    Referência
    Landa; Giovanni Guimarães. Ecologia – Uma ciência complexa vista sob uma linguagem simples. Fundação Mariana Resende Costa. Primeira edição – 2008.
    Laury Cullen Jr.; Rudy Rudran; Cláudio Valladares-Padua. Métodos de Estudos em Biologia da Conservação & Manejo da Vida Silvestre. Editora UFPR.

    Nenhum comentário:

    Imagens de tema por A330Pilot. Tecnologia do Blogger.